Comer ameixas secas ajuda a reduzir risco de osteoporose em mulheres na menopausa

 Segundo o site https://www.folhape.com.br/noticias: Extratos de polifenóis contidos na fruta amenizam fatores inflamatórios que contribuem para a doença

Um estudo em pessoas na pós-menopausa sugere que comer ameixas ricas em nutrientes todos os dias pode ser benéfico para a saúde óssea, reduzindo os fatores inflamatórios que contribuem para a osteoporose. A pesquisa será apresentada esta semana na Filadélfia na reunião anual da American Physiological Society (APS) na Experimental Biology 2022.                                                                                                                A osteoporose aumenta o risco de fratura, especialmente em adultos mais velhos. As mulheres que passam pela menopausa têm níveis mais baixos de estrogênio, o que desencadeia um aumento da inflamação no corpo, o que também pode contribuir para a perda óssea.

Pesquisas anteriores mostraram que os extratos de polifenóis — compostos vegetais que atuam como antioxidantes e reduzem a inflamação — nas ameixas secas promovem níveis mais baixos de estresse oxidativo e inflamação em um tipo de célula óssea chamada osteoclastos.

Em um novo estudo, pesquisadores do Programa de Fisiologia Integrativa e Biomédica e dos Departamentos de Ciências Nutricionais e Cinesiologia da Universidade Estadual da Pensilvânia exploraram os efeitos das ameixas secas na saúde óssea após a menopausa.                 

Mulheres na pós-menopausa com escore de densidade mineral óssea que foi definido como baixo — um marcador de osteoporose — foram divididas em três grupos:

A equipe de pesquisa analisou amostras de sangue retiradas de todos os voluntários antes e depois do teste e encontrou reduções significativas nos marcadores inflamatórios em ambos os grupos que comem ameixas em comparação com o grupo controle.

Idosos e profissionais de saúde são prioridade:  Ministério da Saúde lança campanha de vacinação contra gripe e sarampo

"Nossos achados sugerem que o consumo de seis a 12 ameixas por dia pode reduzir os mediadores pró-inflamatórios que podem contribuir para a perda óssea em mulheres na pós-menopausa. Assim, as ameixas podem ser uma intervenção nutricional promissora para prevenir o aumento de mediadores inflamatórios frequentemente observados como parte do processo de envelhecimento", disse em comunicado Janhavi Damani, autor principal do estudo.  

Postar um comentário

0 Comentários