sábado, 26 de setembro de 2020

Duas pessoas morrem e três ficam feridas após acidente de trânsito na PE-60, em Ipojuca

 Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: Uma das vítimas é um sargento do Corpo de Bombeiros de 39 anos. A esposa dele, de 36 anos, não resistiu aos ferimentos. A filha do casal, de 4 anos, foi levada para hospital no Recife.

Duas pessoas morreram e outras três ficaram feridas num acidente de trânsito nesta sexta-feira (25),                    na PE-60, no município de Ipojuca, no Litoral Sul de Pernambuco (veja vídeo acima). O acidente                  envolveu dois veículos e ocorreu no sentido Tamandaré.

Segundo o Corpo de Bombeiros, morreram um sargento da corporação,               de 39 anos, e a esposa dele, Rakelli Nogueira do Nascimento, de 36.                A filha do casal, de 4 anos, foi levada ao Hospital da Restauração,                     no Recife. A unidade hospitalar disse que o estado de saúde dela é considerado estável e que ela passa por exames.

Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu),                   outras duas pessoas ficaram feridas. Uma delas, uma mulher de                   idade não informada, foi levada ao Hospital Dom Helder Câmara,                  no Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife.

Um homem de 38 anos, que também ficou ferido, foi levado ao                 Hospital Português, no Centro do Recife. Não há informações sobre                   o estado de saúde desses dois feridos.                                                                    Através de imagens enviadas ao WhatsApp da TV Globo, é possível             ver que a parte dianteira de um dos veículos ficou completamente                     destruída. As circunstâncias em que o acidente ocorreu não foram               divulgadas.

"Quando passei no sentido Maragogi, vi que o corpo de uma mulher                 foi arremessado do carro e outra pessoa estava presa no volante.           Também estavam fazendo o resgate de uma criança. Acho que a              cadeirinha pode ter salvo a criança", contou a auxiliar administrativa            Dianna Fernanda, que presenciou o resgate às vítimas.

Uma viatura do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) passou no local            após o acidente e parou para dar assistência.                                                          

TV Jornal SBT                    

Cumaru, em Pernambuco, lidera lista de cidades com mais eleitores do que habitantes em todo o Brasil

 Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: Cidade, no Agreste, tem 15.335 mil eleitores registrados no TSE e 10.192 moradores, de segundo IBGE. É a maior diferença levando em conta os números absolutos.

Cumaru, no Agreste de Pernambuco, possui 10.192 moradores, segundo o Instituto Brasileiro de          Geografia e Estatística (IBGE). Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que                                       há 15. 335 pessoas aptas a votar nas eleições em 2020. Em números absolutos, a cidade lidera                                 a lista nacional de municípios com mais eleitores do que habitantes.

Segundo levantamento do G1, utilizando dados do IBGE e do                        TSE, o número de cidades que possuem mais eleitores que                      habitantes cresceu 60% desde as últimas eleições, em 2018.                      Atualmente, são 493 municípios brasileiros com essa situação.                           Há dois anos, eram 308.

A cidade com a maior diferença proporcional é Severiano                                Melo (RN), que tem 6.482 eleitores registrados no TSE e 2.088                    habitantes, segundo estimativa do IBGE. O número de pessoas                         aptas a votar no município é mais de três vezes maior do que a                            quantidade de habitantes.

Outras três cidades de Pernambuco também estão na lista de                                municípios com mais eleitores que habitantes. São elas: Brejinho                         e Calumbi, no Sertão, e Sairé, no Agreste.

Em Brejinho, a população estimada é de 7.488 pessoas, segundo                          o IBGE. Dados do TSE apontam que o município tem 7.722 eleitores.

Em Calumbi, são 5.747 moradores e 6.154 eleitores. Já em Sairé,                         moram 9.764 pessoas e 10.683 podem votar.                                                          

Cumaru

Cumaru possui a maior diferença, em números absolutos, de                           eleitores a mais do que moradores, entre todas as cidades                    brasileiras. Ela é de 5.143 pessoas ou 150,46% o total da população.

A prefeita de Cumaru, Mariana Medeiros (PP), contesta os                               dados. Para ela, o problema começou com a realização de um                         censo, em 2000, que apontou uma quantidade muito maior de                    moradores do que "existiria na realidade, na época".

O levantamento feito no ano 2000 mostrou que a cidade                                  tinha 27.489 pessoas. Dez anos depois, no entanto, censo                       apresentou uma queda populacional. Em 2010, segundo IBGE,                    Cumaru, tinha 17.103 habitantes.

Desde 2010, a contagem populacional não é refeita de forma                        oficial na cidade nem em todo o país. O que existem são estimativas.                   É justamente esse levantamento feito pelo IBGE que é questionado                  pela gestora.

Segundo Medeiros, os números não representavam a realidade,                       em 2000. “Eu sou daqui, sempre morei aqui e a cidade nunca teve                   essa quantidade de habitantes, como disseram na época”, afirma.

Mariana Medeiros acredita que os números do censo de 2010 são os                    mais corretos. A diferença de mais de 10 mil habitantes, segundo ela,               teria criado uma "tendência de queda na população do município", o                       que ela diz não existir.                                                                                              “Eu procurei os responsáveis pelo IBGE. Sou daqui, sempre morei              aqui. A cidade só cresceu. A zona rural da cidade aumentou”, diz.                      “Se há 20 anos tinha mais gente que agora, onde estão as casas abandonadas?”, questiona.

Mariana acredita que não houve interesse em corrigir o "erro                  cometido" em 2000. “Naquela época, não tinha prestação de                      contas, internet, portal da transparência. Mal tinha telefone aqui”,                    completa.

“A cidade está pagando um preço alto por ter recebido um dinheiro                    que não merecia nos anos 2000. Hoje vivemos com metade do                        dinheiro”, diz, se referindo ao percentual de recursos repassados                      pelo governo federal aos municípios, que varia de acordo com a                  população e outros índices.

Para a gestora, a cidade tem muito mais que os 10 mil habitantes              estimados pelo IBGE. “Menos de 16 mil pessoas eu não tenho.                         Só no sistema de saúde nós temos 15.880 pessoas cadastradas”,               alega.

“Temos seis mil casas na cidade. Se morassem três pessoas por                           casa, já seriam 18 mil e moram muito mais que três pessoas em                  algumas casas”, completa.

A prefeita de Cumaru diz que há vários processos na Justiça para                   revisão da população. Porém, ela estima que só vai conseguir uma                    mudança com o próximo censo, previsto para 2022.                                                

Razões da diferença

De acordo com o diretor-geral do Tribunal Regional Eleitoral de         Pernambuco (TRE-PE), Orson Lemos, a diferença acontece por                 causa da metodologia empregada na estimativa da população pelo                  IBGE e no cadastramento eleitoral feito pelos cartórios eleitorais,               principalmente em cidades com menos de 10 mil habitantes.

Segundo ele, deve ser levado em conta o fator de pessoas que                    moram em cidades maiores da região para trabalhar ou estudar,                       mas voltam para seus municípios de origem para votar.

“O censo do IBGE acontece a cada dez anos e vai usando uma                     ferramenta de estimativa de população, que pode ficar defasada                      em relação às políticas públicas da cidade. Nosso cadastro eleitoral                     utiliza comprovante de residência atualizado”, afirma Orson.                                  Para ele, o eleitorado é um retrato mais fiel dos movimentos                  populacionais do que os dados registrados pelo IBGE. "O IBGE                        faz o levantamento por amostragem”, completa.

Ainda de acordo com Orson Lemos, os vínculos familiares também               explicam essa diferença. O diretor-geral do tribunal diz que,                       mesmo morando em outra cidade, pessoas preferem voltar para                       seus locais de origem para escolher os candidatos, por causa de                 afinidade.

“A afinidade até o 3º grau de parentesco permite que o eleitor                              escolha onde quer votar. Muita gente aproveita as eleições para                      votar e visitar os avós, por exemplo. Eles têm direito. A lei permite”,                declara.

Para a cientista política Tereza Vasconcelos, a falta de atualização                   dos dados do censo é um grande problema para atualizar                      pesquisas em diversas áreas, como segurança pública e saúde.

“Os dados discrepantes e esse aumento das cidades com maior                 número de eleitores do que moradores no Brasil, tem relação                          com isso”, comenta. “Não deixa de ser perigoso, porque na hora                        de fiscalizar, as fraudes podem passar despercebidas devido a falta                    de segurança dos dados”, completa.

Para a especialista, existe também um fator histórico na diferença                        entre quem mora na cidade e quem vota nela.

“Aqui em Pernambuco, além da falta de atualização do censo e das            diferenças entre endereço civil e eleitoral, notei que todas essas cidades                   eram    distritos, até a década de 1960. As pessoas nessas regiões trabalham  nos municípios vizinhos e voltam para cidade                             apenas em no período   eleitoral”, avalia Tereza.

Datas

Este ano, o calendário das eleições foi adiado por causa da                  pandemia provocada pelo novo coronavírus: o primeiro turno                             acontece em 15 de novembro; e o segundo, em 29 de novembro,                     de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).                        

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Os Parabéns de hoje vai para minha linda netinha Brunna Galhardo

 Hoje os parabéns vai para a Jovem Brunna Galhardo, minha linda Netinha, que nesta data tão especial Jesus o amigo Fiel possa realizar todos os teus sonhos e possa te abençoar muito mais meu amor, vovó e vovó te ama muito,, um beijão 











TSE libera ferramenta para consulta de candidaturas para Eleições 2020

 Segundo o site http://adrianoroberto.blog.br:Consultas por município e cargo, acesso à informações detalhadas sobre a situação dos candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador, que pediram registro para concorrer às Eleições Municipais de 2020 já estão disponíveis na plataforma DivulgaCandContas, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A ferramenta traz ainda todos os dados declarados à Justiça Eleitoral, inclusive informações relativas às prestações de contas dos concorrentes




Acesso

O sistema é aberto a todos os cidadãos, sem necessidade de cadastro prévio ou autenticação de usuário. Na consulta, basta selecionar a unidade da federação no mapa ou a sigla do estado que quiser informações.

Na página principal do sistema, o interessado encontrará o quantitativo total de candidaturas por cargo (prefeito, vice-prefeito e vereador). No mapa do Brasil, é possível filtrar a pesquisa clicando na unidade da Federação e depois no cargo desejado. Em seguida, aparecerá uma lista com todos os políticos que concorrem ao cargo no estado.                                                                                                                          Selecionado o nome do candidato, é possível obter informações sobre o seu número, partido, composição da coligação que o apoia (se for o caso), nome que usará na urna, grau de instrução, ocupação, site do candidato, limite de gasto de campanha, proposta de governo, descrição e valores dos bens que possui, além de eventuais registros criminais. Também é possível acompanhar a situação do pedido de registro e eleições anteriores das quais o candidato tenha participado.

Prazo

A ferramenta é atualizada toda hora à medida em que chegam solicitações de registros à Justiça Eleitoral. No dia 26 de setembro, às 19h, termina o prazo para os partidos políticos e coligações apresentarem o requerimento de registro de candidatos e chapas à Justiça Eleitoral.

Caso os partidos políticos ou coligações não tenham requerido o registro de algum candidato escolhido em convenção, a data-limite para a formalização individual do registro perante o TSE ou algum Tribunal Regional Eleitoral (TRE) é o dia 1º de outubro, também até as 19h.

Situação da candidatura

A situação do registro do candidato aparece ao lado da foto, além do tipo de eleição à qual ele está concorrendo e um guia sobre os termos, inclusive os jurídicos, utilizados para definir a situação dele perante a Justiça Eleitoral.

Quando o processo é registrado na Justiça Eleitoral, é informada a palavra “cadastrado” e, em seguida, “aguardando julgamento”. Isso significa que o candidato enviou o pedido de registro de candidatura, mas o pedido ainda não foi julgado, ou seja, o processo está tramitando e aguarda análise.                                    Após o processo ser apreciado, o registro pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”. Candidatos que aparecem como aptos, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro. Nesse caso, a situação será “apto” e o complemento será “indeferido com recurso”.

Há ainda candidatos que apresentaram o registro e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz e, no entanto, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

Na situação de registro julgado como apto, ainda há possibilidades de situações como “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

Por fim, também consta do sistema a condição de “inapto”, com os complementos: “cancelado”, quando o candidato teve o registro cancelado pelo partido; “cassado”; “falecido”; “indeferido”, quando o candidato não reuniu as condições necessárias ao registro; “não conhecimento do pedido”, candidato cujo o pedido de registro não foi apreciado pelo juiz eleitoral; e “renúncia”.

Contas

O sistema também disponibiliza as informações relativas às prestações de contas dos candidatos das eleições. O usuário pode fazer a pesquisa das receitas dos concorrentes por doadores e fornecedores, além de acessar a relação dos maiores doadores e fornecedores de bens e/ou serviços a candidatos e partidos políticos.     

       

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Lava Jato investiga pagamento de US$ 40 milhões em propina por contrato de navios

 Segundo o site https://ricardoantunes.com.br: MPF deflagra 75ª fase da operação para investigar contratos de US$ 2,7 bilhões das empresas dos Grupos Sapura e Seadrill com a Petrobras. Vinte e cinco mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos, nesta quarta-feira (23), no Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe. Não há ordens de prisão expedidas.


Com informações do MPF — Em atendimento a pedido formulado pelo Ministério Público Federal (MPF), foi deflagrada nessa quarta-feira (23) a 75ª fase da operação Lava Jato, com o cumprimento, por ordem da 13ª Vara Federal de Curitiba, de 25 mandados de busca e apreensão no Rio de Janeiro/RJ, São Paulo/SP e em Sergipe. O objetivo é aprofundar as investigações relacionadas a possíveis atos de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo contratos firmados por empresas do Grupo Seadrill, entre os quais contratos celebrados em 2011 pela empresa Sapura,com a Petrobras para o fornecimento de três navios lançadores de linha (PLSV), vigentes até os dias atuais. Para a construção e o posterior uso em regime de afretamento por oito anos, os contratos totalizaram US$ 2,7 bilhões.                                    Ao mesmo tempo em que se destinam a instruir as apurações em curso no âmbito da operação Lava Jato, as medidas são também executadas em cumprimento a pedidos de cooperação jurídica internacional.                                                                                                Especificamente no que diz respeito aos contratos relacionados aos navios lançadores de linha, celebrados pela Diretoria de Exploração e Produção da Petrobras, apuraram-se indícios de que a empresa Sapura no Brasil contratou intermediários e operadores financeiros que, mediante o pagamento de 1,5% do valor dos contratos a título de propina, eram responsáveis por viabilizar a inclusão da empresa em certame da Petrobras e obter informações privilegiadas de dentro da estatal .

Ainda, com base nos extratos bancários de contas mantidas pelos investigados no exterior, identificou-se que, após receberem seus pagamentos em contas bancárias mantidas em nome de offshores, estes operadores financeiros transferiram parte dos valores a dois altos executivos da Sapura, um então vinculado à Sapura no Brasil e outro à Sapura Energy, sediada na Malásia.

Além disso, a partir da análise de documentos apreendidos, foram identificadas suspeitas de que a atuação ilícita dos investigados tenha também abrangido outros contratos da Petrobras, também em favor dos interesses do Grupo Seadrill.

Segundo apurado, os valores repassados aos operadores financeiros circularam por diversas contas mantidas em nome de offshores, tendo sido identificadas contas controladas pelos investigados em, pelo menos, seis países diferentes.

O caráter transnacional dos fatos e desdobramentos fora da jurisdição brasileira fundamentaram investigações autônomas que geraram o pedido de buscas por autoridades holandesas também executado pelos mandados cumpridos na data de hoje.

As investigações que ensejaram as medidas concretizadas nessa quarta-feira (23) tiveram como base, dentre outros elementos, a análise de documentos apreendidos em fases anteriores, extratos bancários de contas sediadas no exterior, trocas de e-mails entre os investigados e ampla cooperação jurídica internacional.

Segundo o procurador da República Marcelo Ribeiro, as medidas executadas permitem a ampliação da investigação, relativamente a possíveis irregularidades na área de exploração e produção. “Além disso, o trabalho de investigação reforça a importância da cooperação jurídica internacional em uma via de mão dupla: os elementos obtidos no exterior foram importantes para a formulação dos pedidos e o Brasil, novamente, assume uma postura cooperativa cumprindo pedidos de auxílio direto por autoridades estrangeiras, para instrução de casos fora da jurisdição brasileira”, explica o procurador.

   

    


Dono de casa de shows é morto a tiros dentro de caminhão-pipa na Zona Norte do Recife

 Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: Olivier Pinto Peixoto Filho, de 47 anos, era dono da casa Acadêmico do Morro. Ele foi morto na tarde desta segunda (22), no bairro de Casa Amarela.

Um homem foi morto a tiros dentro de um caminhão-pipa, na tarde desta terça-feira (22), no bairro                     de Casa Amarela, na Zona Norte do Recife. A vítima foi identificada como Olivier Pinto Peixoto Filho,           de 47 anos, dono da casa de shows Acadêmico do Morro, no Morro da Conceição, na mesma região 

De acordo com testemunhas, Olivier também era dono da empresa                   de distribuição de água OL Água Potável. O caminhão-pipa onde                   ocorreu o assassinato pertence a essa distribuidora. A vítima se                  candidatou a vereador da capital, em 2012, mas não se elegeu.

O caso ocorreu na Rua Bugari, perto da Avenida Norte, uma das                   mais movimentadas da área. Testemunhas que falaram com a                          TV Globo no local do crime afirmaram que o homem estava                     acompanhado por dois funcionários no momento em que ocorreu                       o crime.

Ele desceu do caminhão para ir até um bar, que fica próximo ao                         local do assassinato. Ao retornar, foi abordado por dois rapazes                           em uma moto, segundo pessoas que presenciaram o crime.                                  Os homens atiraram em Olivier e os dois funcionários dele                       conseguiram fugir. Ainda não há informações sobre a motivação                           do assassinato nem sobre o estado de saúde dos empregados                           da vítima.

O corpo ficou na cabine do caminhão e, até as 15h, ainda não                       havia sido recolhido pelo Instituto de Medicina Legal (IML).

A Polícia Militar foi acionada para a ocorrência e isolou o local do                 crime. Havia muitos curiosos ao redor do caminhão e, por volta                       das 14h30, o Instituto de Criminalística foi ao local para realizar                perícias.

Por meio de nota, a PM informou que equipes fizeram buscas pelos                  suspeitos, mas não conseguiu encontrá-los. A Polícia Civil, por sua                    vez, afirmou que uma equipe do Departamento de Homicídios e                   Proteção à Pessoa (DHPP) esteve ao local, juntamente com o perito responsável do Instituto de Criminalística (IC), "para darem início às                 diligências preliminares".

A delegacia responsável pela investigação do caso vai instaurar um               inquérito policial e dará andamento às investigações. O caso ficará                    sob a chefia do delegado Ian Campos.                                                                      

Homicídios em Pernambuco

Pernambuco registrou, em agosto deste ano, 267 assassinatos.                      Isso representa uma redução de 2,9% em relação aos 275 Crimes                Violentos Letais Intencionais (CVLIs) ocorridos no mesmo mês                           de 2019, segundo os dados divulgados pela Secretaria de                         Defesa Social (SDS) nesta terça (15).

Esta é a primeira diminuição no número de homicídios no estado                      em 2020, após aumento nos primeiros sete meses do ano.      

terça-feira, 22 de setembro de 2020

Câmara aprova ampliação de validade de CNH

 Segundo o site https://noticias.r7.com: Relatório foi aprovado na Câmara com alterações e texto vai à sanção presidencial. Após virar lei, entrará em vigor em 180 dias 

A Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (22) o relatório do deputado Juscelino Filho (DEM-MA) ao Projeto de Lei 3267/19, do Poder Executivo, que altera o Código de Trânsito Brasileiro. A proposta foi aprovada com alteraçõs no plenário e o texto segue para sanção presidencial. 

Mantida a integralidade do texto aprovado pelo Congresso, todas as mudanças feitas pelo projeto valerão depois de 180 dias da publicação da futura lei.

Botão para controlar o volume da publicidade

Entre as principais medidas, a proposta aumenta a validade da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para dez anos e vincula a suspensão do direito de dirigir por pontos à gravidade da infração.

De acordo com o texto, a CNH terá validade de dez anos para condutores com até 50 anos de idade. O prazo atual, de cinco anos, continua para aqueles com idade igual ou superior a 50 anos.

Já a renovação a cada três anos, atualmente exigida para aqueles com 65 anos ou mais, passa a valer apenas para os motoristas com 70 anos de idade ou mais.        Profissionais que exercem atividade remunerada em veículo (motoristas de ônibus ou caminhão, taxistas ou condutores por aplicativo, por exemplo) seguem a regra geral.

Emendas do Senado

Os parlamentares aprovaram 8 das 12 emendas do Senado ao texto do relator,  como a que proíbe converter pena de reclusão por penas alternativas no caso de morte ou lesão corporal provocada por motorista bêbado ou sob efeito de drogas.

Aprovado em junho pela Casa depois de um ano de discussões, o projeto teve pontos modificados no Senado e, por isso, precisou de nova avaliação dos deputados federais.

Pelo texto aprovado, a carteira de motorista passa a ter validade de 10 anos, mas somente para os condutores com até 50 anos. A regra geral era de 5 anos.

Também ficou definido que para perder o documento a pontuação pode variar de 20 pontos (como é hoje) a 40, se a maior parte das infrações for leve ou média.

O uso obrigatório das cadeirinhas infantis também foi aprovado nas duas Casas, mas no Senado ganhou mais detalhes, exigindo-se adequações ao peso e à altura das crianças com até 10 anos de idade. 

Outro é a possibilidade de prisão para motoristas embriagados que provoquem acidentes graves. O texto aprovado em junho na Câmara previa penas alternativas à perda da liberdade.

Bebida alcoólica


O parecer do relator recomendou a rejeição de quatro alterações feitas pelos senadores. Uma delas tornava infração grave punida com multa o ato de transportar ou manter embalagem não lacrada de bebida alcoólica no veículo em movimento, exceto no porta-malas ou no bagageiro.

Para Juscelino Filho, o texto deveria trazer exceção para os veículos de transporte turístico. Ele lembrou que a bebida aberta pode ainda estar sendo consumida pelo passageiro e não pelo motorista.

O relator pediu a rejeição de emenda que condicionava o condutor a escolher entre a CNH em meio físico ou digital, impossibilitando a escolha das duas formas ao mesmo tempo ou uma ou outra separadamente, como defende a Câmara.

A terceira emenda com parecer contrário especificava que a multa gravíssima aplicável a motociclistas seria por falta de uso de capacete “e” roupa de proteção segundo as normas do Contran.

Juscelino Filho explicou que o conectivo “ou”, como está na redação aprovada pelos deputados, é que atende às preocupações dos senadores, ao permitir a aplicação da multa pela falta de um equipamento ou outro de segurança, em vez de condicionar a multa à falta de ambos.

Outro ponto com parecer contrário foi a emenda que permitia aos médicos com curso de capacitação para essa atividade continuarem atendendo em clínicas mesmo sem a especialização exigida pelo projeto.

Cadeirinha


Quanto ao uso da cadeirinha, o Senado propôs que o equipamento, que pode ser um assento de elevação (booster) ou uma cadeira especial presa ao assento, deverá ser adequado ao peso e à altura da criança.

Juscelino Filho já havia acrescentado o limite de altura de 1,45 metro à idade de dez anos para a qual é feita a exigência de permanecer no banco traseiro.

A obrigatoriedade da cadeirinha, hoje prevista em resolução do Contran, foi incorporada ao Código de Trânsito e a multa continua gravíssima. No texto original, o Executivo propunha o fim da penalidade.

Advertência


Uma das emendas aprovadas condiciona a substituição obrigatória de multas leves ou médias por advertência ao fato de o infrator não ter cometido nenhuma outra infração nos últimos 12 meses.

Na redação da Câmara, a advertência não seria aplicada somente se o infrator fosse reincidente no mesmo tipo de infração cometida nos 12 meses anteriores, abrindo o leque de situações nas quais a advertência seria aplicada.

Hoje, a conversão de multa em advertência fica a critério da autoridade de trânsito. Entretanto, o substitutivo aprovado retira do código a possibilidade de essa advertência ser aplicada também ao pedestre.

Farol em rodovias


A infração de dirigir sem faróis acesos em rodovias, tornada restrita pelo texto da Câmara apenas às rodovias simples, passa a existir apenas para aquelas fora do perímetro urbano, segundo emenda do Senado.

Brasília seria uma das cidades visadas com a mudança, pois possui várias vias classificadas de rodovias em perímetro urbano.

Pontuação


Quanto à pontuação a partir da qual a pessoa tem o direito de dirigir suspenso, o texto de Juscelino Filho estabelece uma gradação de 20, 30 ou 40 pontos em 12 meses conforme haja infrações gravíssimas ou não.

Atualmente, a suspensão ocorre com 20 pontos, independentemente de haver esse tipo de infração.

Com a nova regra, o condutor será suspenso com 20 pontos se tiver cometido duas ou mais infrações gravíssimas; com 30 pontos se tiver uma infração gravíssima; e com 40 pontos se não tiver cometido infração gravíssima nos 12 meses anteriores.

Para o condutor que exerce atividade remunerada, a suspensão será com 40 pontos, independentemente da natureza das infrações. Isso valerá para motoristas de ônibus ou caminhões, mas também para taxistas, motoristas de aplicativo ou mototaxistas.

Entretanto, se o condutor remunerado quiser participar de curso preventivo de reciclagem quando, em 12 meses, atingir 30 pontos, toda a pontuação será zerada. Atualmente, essa possibilidade existe para aqueles com carteiras do tipo C, D ou E se acumulados 14 pontos.

Exame toxicológico


Juscelino Filho manteve a exigência de condutores com carteiras das categorias C, D e E fazerem exame toxicológico na obtenção ou renovação da CNH e a cada dois anos e meio.

Para adaptar os prazos em razão das validades diferenciadas da carteira, somente os motoristas com menos de 70 anos precisarão fazer novo exame depois de dois anos e meio da renovação.

Atualmente, quem tem 65 anos ou mais precisa repetir o exame depois de um ano e meio, periodicidade que passa a ser exigida para aqueles com 70 anos ou mais.

O relator incluiu no código uma multa de cinco vezes o valor padrão, pontuação de infração gravíssima, penalidade de suspensão do direito de dirigir por três meses e necessidade de apresentar exame com resultado negativo para acabar com a suspensão.

A multa será aplicada se o infrator for pego conduzindo veículo das categorias C, D ou E e também para aquele que exerce atividade remunerada com esse tipo de veículo e não comprovar a realização do exame toxicológico periódico quando da renovação da CNH.

Proibições


Atualmente, para que uma pessoa possa habilitar-se nas categorias D ou E, ou ser condutora de transporte escolar, ônibus, ambulância ou transportar produto perigoso, o Código de Trânsito exige que não tenha cometido infração grave ou gravíssima ou não seja reincidente em infrações médias durante os últimos 12 meses.

Pelo texto aprovado, será exigido do profissional que ele não tenha cometido mais de uma infração gravíssima nesse período.

Retenção de CNH


Na penalidade por dirigir com velocidade 50% superior à permitida na via, o deputado Juscelino Filho retirou a apreensão da CNH e a suspensão imediata do direito de dirigir. Esta suspensão passará a depender de processo administrativo.

No dia 29 de maio, o Supremo Tribunal Federal (STF) julgou constitucionais esses procedimentos incluídos no código pela Lei 11.334/06 e questionados em ação do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil.