Câmara Municipal de Surubim

Câmara Municipal de Surubim
Câmara Municipal de Surubim

PF e Ibama fazem operação conjunta em região de garimpo ilegal na Amazônia

 Segundo o site https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil: Polícia Federal, o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), a Força Nacional e a Marinha do Brasil realizaram operação para conter o avanço do garimpo ilegal na região da Amazônia.                     Segundo o ministro Anderson Torres (Justiça e Segurança Pública), foram destruídas 69 balsas.

A operação resultou ainda na prisão de 1 garimpeiro e na apreensão de ouro.

Na última semana, imagens de centenas de garimpeiros instalados no Rio Madeira, no Amazonas, expuseram um dos problemas centrais da região: o garimpo ilegal. A atividade implica em grandes impactos ambientais, como afirmou ao Poder360, Pedro Walfir, coordenador de pesquisa sobre mineração do MapBiomas.

Conforme determinei, o Ministério da Justiça e Segurança Pública agiu imediatamente contra o crime”, escreveu o ministro em seu perfil no Twitter. Torres divulgou um vídeo com imagens de balsas incendiadas.

Em nota, o Ibama disse que a operação teve início na última 4ª feira (24.nov), quando helicópteros do órgão “fizeram o reconhecimento do local, ajustando todos os pontos necessários para intervenção das forças de repressão do Estado, trazendo assim resultados efetivos no combate aos crimes ambientais naquela região”.

Em áudios vazados na semana passada, um homem identificado como um garimpeiro fala em reagir a abordagens de fiscalização no rio. “Vocês que têm muita balsa aí, montar um paredão aí”, disse ele.

Ouça (1m35):

Reprodutor de vídeo de: YouTube (Política de PrivacidadeTermos)

GARIMPO

O garimpo é a mineração manual. Por não haver profundidade na exploração, esse tipo de mineração degrada mais a superfície dos biomas. Também é, normalmente, ilegal. É o caso dos garimpeiros que invadiram o Rio Madeira, que não têm autorização da ANM (Agência Nacional de Mineração) para explorar a região.

As embarcações chegaram no rio há pelo menos duas semanas.

Eles [garimpeiros] estão dragando o fundo do rio, com um processo de separação [da areia e dos metais] que gera uma poluição química”, afirmou Pedro Walfir. “Quanto mais tempo eles permanecem lá, nessa atividade, maior vai ser o impacto na região”.

A mineração ilegal raramente tem protocolos de segurança, ambientais e trabalhistas. O garimpo é a principal forma de mineração na Amazônia. Dados do MapBiomas indicam que a área minerada por garimpo na região em 2020 chegou a 101,1 mil hectares. É, de longe, a maior área de garimpo no Brasil.

Postar um comentário

0 Comentários