Header Ads Widget

header ads

Projeto garante renda para catadores de materiais recicláveis na RMR

 Segundo o site https://www.folhape.com.br/noticias: Iniciativa já beneficiou 150 catadores dos municípios do Recife e de Igarassu, na Região Metropolitana da capital pernambucana

O trabalho dos catadores é fundamental para a coleta e transformação de materiais usados em novos produtos. Por isso, a Rede de Favelas de Pernambuco (Re.Favela) criou o projeto Ecograna, que tem o objetivo de gerar renda a esses profissionais de maneira sustentável.                                                            A Ecograna é uma plataforma de coleta de resíduos sólidos que propõe a  implantação da coleta seletiva em órgãos públicos, empresas privadas e outros setores da sociedade civil.

Os resíduos são destinados às cooperativas de catadores localizadas nas periferias do entorno de onde foram coletados, formando assim uma rede de apoio e faturamento.

O projeto já beneficiou 150 catadores dos municípios do Recife e de Igarassu, na Região Metropolitana da capital pernambucana.

“Além da proteção do meio ambiente, nosso trabalho também é social. Consiste em formalizar esses trabalhadores , trazer dignidade e gerar renda diante da crise econômica que enfrentamos em virtude da pandemia” explica a gestora ambiental Risolane Oliveira.

A Ecograna fornece Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e oferece orientações jurídicas e de segurança do trabalho aos trabalhadores.

“Nosso trabalho ajuda reduzindo a quantidade de resíduos enviados aos aterros sanitários, isso porque, infelizmente, metas ambiciosas como o fim dos lixões até 2014, já foram descumpridas no país. A nova meta do PNRS é reduzir para zero o número de lixões em todo o Brasil até 2024”, completa Risolane Oliveira.

O Brasil conta com uma Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), instituída em 2010, mas apenas 2,1% do total de resíduos coletados são reciclados. O percentual é o mesmo há pelo menos três anos, segundo dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).        


Postar um comentário

0 Comentários