sábado, 7 de abril de 2018

Justiça de Pernambuco condena integrantes de torcida organizada por lesão corporal e rixa esportiva

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco Julgamento de quatro pessoas que faziam parte da Inferno Coral, do Santa Cruz, ocorreu em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife.Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) fica no centro do Recife (Foto: Reprodução/TV Globo)Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) fica no centro do Recife (Foto: Reprodução/TV Globo)
Quatro integrantes da torcida organizada Inferno Coral, do Santa Cruz Futebol Clube, foram condenados por lesão corporal de natureza leve e por rixa esportiva, em virtude de envolvimento de uma briga ocorrida em uma estação de metrô, em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, em maio de 2016. Na confusão, em Prazeres, duas pessoas ficaram feridas.
O julgamento começou na quinta-feira (5) e terminou na noite de sexta-feira (6), no mesmo município. De acordo com informações postadas no site do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), Alisson Henrique Claudino da Silva, Aurélio Jordan Belo da Silva, Emerson José da Silva e Omar Nascimento Torres pegaram oito meses de detenção por cada uma das lesões corporais.
Também foi imposta uma punição de um ano e dois meses de reclusão e multa por causa de rixa esportiva. A Justiça determinou a substituição da pena de reclusão por proibição de comparecimento às proximidades de estádio, ou qualquer lugar onde ocorra evento esportivo, durante dois anos.
No caso de Alisson da Silva, também houve punição por furto. A pena prevê um ano e meses de reclusão e multa. Todos foram absolvidos pelo crime de associação criminosa.
Eles iniciarão o cumprimento da pena em regime aberto. Em caso de recurso, recorrerão em liberdade. Ficaram feridos na briga Gleydson Gustavo da Silva e José Anderson Ferreira.
Segundo o TJPE, os jurados entenderam por desclassificar a acusação de tentativa de homicídio contra as duas vítimas. Durante os dois dias do julgamento, os jurados acompanharam os depoimentos das vítimas e o vídeo com a audiência de instrução em que os quatro réus foram ouvidos.
Também houve o debate entre Ministério Público, Defensoria Pública e advogados, para deliberação do júri e a decisão. O processo teve início com a investigação feita pela Delegacia de Polícia de Repressão à Intolerância Esportiva.Polícia prendeu 15 integrantes da Torcida Inferno Coral no Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)Polícia prendeu 15 integrantes da Torcida Inferno Coral no Recife (Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press)

Entenda o caso

A briga ocorreu em 4 de maio de 2016. O fato levou a Polícia Civil a deflagrar a Operação Cartão Vermelho. Em outubro do mesmo ano, os agentes cumpriram 15 mandados de prisão contra integrantes da torcida organizada.
Os detidos foram acusados de promover tumulto, praticar ou incitar a violência, rixa, lesão corporal grave, roubo, associação criminosa e tentativa de homicídio duplamente qualificado. A polícia também realizou mandados de busca e apreensão em 18 locais. Entre eles, a sede da torcida organizada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário