Câmara Municipal de Surubim

Câmara Municipal de Surubim
Câmara Municipal de Surubim

Expectativa da inflação para 2022 cai pela 3ª vez e chega a 7,54%

 Segundo o site https://noticias.r7.com/economia: Há quatro semanas, as projeções do mercado financeiro estavam em 8,27%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central

O mercado financeiro reduziu, pela terceira semana consecutiva, a expectativa para os índices inflacionários projetados para 2022. De acordo com o Boletim Focus, divulgado hoje (18), em Brasília, pelo Banco Central, o ano deve fechar com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial do país, em 7,54%. Na semana passada, a previsão era de uma inflação de 7,67% e, há quatro semanas, as projeções estavam em 8,27%.

Para 2023, a previsão de inflação aumentou agora de 5,09% para 5,2%. É a 15ª semana seguida de projeções de alta para esse índice. Quatro semanas atrás, estimava-se inflação de 4,83% para o próximo ano. Para 2024 e 2025 não há diferenças nas estimativas inflacionárias propostas anteriormente: 3,3% e 3%, respectivamente.                                                                                                           O Boletim Focus é uma publicação semanal que reúne a projeção de cerca de cem instituições do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos do país.

PIB tem alta

Para o PIB (Produto Interno Bruto), a soma dos bens e dos serviços produzidos no país, as estimativas apresentam alta pela terceira semana seguida. O índice anterior previa um crescimento de 1,59% para 2022, que subiu para 1,75% nesta semana. Há quatro semanas, o mercado financeiro projetava um PIB de 1,5% para este ano.

Não houve alterações nas projeções de PIB para 2023, 2024 e 2025, na comparação com o que foi apresentado na semana passada. Para 2023, a expectativa é de um PIB de 0,5%; em 2024, ela se mantém em 1,8%; e, para 2025, em 2%.

Taxa de juros

Pela quarta semana consecutiva, o mercado financeiro manteve as projeções em 13,75% para a Selic de 2022, a taxa básica de juros, até o fim do ano. Para 2023, são previstos juros de 10,75%, percentual acima do que foi projetado há uma semana (10,5%).

Há quatro semanas, a previsão era que 2023 fecharia com uma Selic de 10,25%. Para 2024 e 2025, a projeção se manteve estável: 8% e 7,5%, respectivamente.

Dólar

O cálculo para a cotação do dólar ao fim do ano apresentou estabilidade na comparação com a o que foi mostrado na semana passada, com a moeda americana fechando o ano a R$ 5,13. Há quatro semanas, a hipótese era que o dólar fecharia em R$ 5,06.

Ainda segundo o Boletim Focus, a moeda americana fechará 2023 em R$ 5,10, o mesmo valor que foi proposto na semana anterior. Há quatro semanas, a expectativa também era que a moeda custaria R$ 5,10 ao fim do próximo ano.        Para 2024, a expectativa de cotação fica ligeiramente abaixo da que foi projetada na semana passada, mudando de R$ 5,06 para R$ 5,05. Esta é a terceira semana seguida em que a moeda americana tem previsão de recuo na comparação com o real para daqui a dois anos.

Há quatro semanas, o mercado previa uma cotação de R$ 5,07 para o dólar ao fim de 2024. Para 2025, espera-se que ele feche em R$ 5,14. Há uma semana, essa projeção era de R$ 5,15.                                                                                               7,54%

Expectativa da inflação para 2022 cai pela 3ª vez e chega a 7,54%

Há quatro semanas, as projeções do mercado financeiro estavam em 8,27%, segundo o Boletim Focus, do Banco Central

  • ECONOMIA Agência Brasil

Notas de R$ 100

Notas de R$ 100

AGÊNCIA BRASIL/JOSÉ CRUZ

O mercado financeiro reduziu, pela terceira semana consecutiva, a expectativa para os índices inflacionários projetados para 2022. De acordo com o Boletim Focus, divulgado hoje (18), em Brasília, pelo Banco Central, o ano deve fechar com o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial do país, em 7,54%. Na semana passada, a previsão era de uma inflação de 7,67% e, há quatro semanas, as projeções estavam em 8,27%.

Para 2023, a previsão de inflação aumentou agora de 5,09% para 5,2%. É a 15ª semana seguida de projeções de alta para esse índice. Quatro semanas atrás, estimava-se inflação de 4,83% para o próximo ano. Para 2024 e 2025 não há diferenças nas estimativas inflacionárias propostas anteriormente: 3,3% e 3%, respectivamente.

O Boletim Focus é uma publicação semanal que reúne a projeção de cerca de cem instituições do mercado financeiro para os principais indicadores econômicos do país.

PIB tem alta

Para o PIB (Produto Interno Bruto), a soma dos bens e dos serviços produzidos no país, as estimativas apresentam alta pela terceira semana seguida. O índice anterior previa um crescimento de 1,59% para 2022, que subiu para 1,75% nesta semana. Há quatro semanas, o mercado financeiro projetava um PIB de 1,5% para este ano.

Não houve alterações nas projeções de PIB para 2023, 2024 e 2025, na comparação com o que foi apresentado na semana passada. Para 2023, a expectativa é de um PIB de 0,5%; em 2024, ela se mantém em 1,8%; e, para 2025, em 2%.

Taxa de juros

Pela quarta semana consecutiva, o mercado financeiro manteve as projeções em 13,75% para a Selic de 2022, a taxa básica de juros, até o fim do ano. Para 2023, são previstos juros de 10,75%, percentual acima do que foi projetado há uma semana (10,5%).

Há quatro semanas, a previsão era que 2023 fecharia com uma Selic de 10,25%. Para 2024 e 2025, a projeção se manteve estável: 8% e 7,5%, respectivamente.

Dólar

O cálculo para a cotação do dólar ao fim do ano apresentou estabilidade na comparação com a o que foi mostrado na semana passada, com a moeda americana fechando o ano a R$ 5,13. Há quatro semanas, a hipótese era que o dólar fecharia em R$ 5,06.

Ainda segundo o Boletim Focus, a moeda americana fechará 2023 em R$ 5,10, o mesmo valor que foi proposto na semana anterior. Há quatro semanas, a expectativa também era que a moeda custaria R$ 5,10 ao fim do próximo ano.

Para 2024, a expectativa de cotação fica ligeiramente abaixo da que foi projetada na semana passada, mudando de R$ 5,06 para R$ 5,05. Esta é a terceira semana seguida em que a moeda americana tem previsão de recuo na comparação com o real para daqui a dois anos.

Há quatro semanas, o mercado previa uma cotação de R$ 5,07 para o dólar ao fim de 2024. Para 2025, espera-se que ele feche em R$ 5,14. Há uma semana, essa projeção era de R$ 5,15.

        

Postar um comentário

0 Comentários