Homem é condenado a 24 anos de prisão por matar ex-namorada em MG

 Segundo o site https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil: O júri popular ainda condenou o homem a pagar uma indenização por danos morais no valor de R$ 100 mil. O julgamento durou quase 12 horas e foi realizado na Câmara Municipal da cidade e foi acompanhado por muitos moradores. 

Um homem acusado de matar a ex-namorada a facadas foi condenado a 24 anos de prisão, por crime triplamente qualificado. Djalmo Henrique Pereira, de 37 anos, foi julgado em júri popular, ocorrido nesta sexta-feira (29/4), em Conceição dos Ouros, Sul de Minas, cidade onde o crime aconteceu.   A enfermeira Flávia Franco, de 28 anos, foi morta com mais de 30 facadas, em outubro de 2020. O ex a atacou na garagem de casa, bem cedinho, quando Flávia saía para o trabalho. O crime chocou a cidade de 12 mil habitantes.

Pais da vítima no julgamento 

O pai e a mãe de Flávia Franco foram até Conceição dos Ouros para acompanhar o julgamento. A família é de Campestre, também no Sul de Minas. Vanda Martins Franco e Antônio Carlos Franco estavam emocionados desde que chegaram na cidade. Eles usavam camisetas com o rosto da filha única, onde também estava estampado o pedido de justiça.

“Faz um ano e meio que eu estou sofrendo, não sei até quando vou sofrer!” Ele merece muito mais que a pena máxima que existir na lei. Não tem quantidade, tudo o que der para ele é pouco”, disse o pai, em entrevista ao Terra do Mandu, no início do júri popular.   “Eu busco justiça, porque era minha única filha e eu o tratava muito bem, como meu filho. Nunca esperava que ele fizesse uma coisa dessas. Ela discutia muito com ele, porque ele era muito ciumento. Mas ele não queria separar e ela não queria mais, então foi por isso que aconteceu, por causa da separação. Eles já estavam separados, ele era ex dela, não era mais namorado”, enfatizou a mãe.

O crime e o relacionamento

Flávia Franco foi morta na garagem de casa, na madrugada do dia 30 de outubro de 2020. Ela saía para o trabalho, quando foi atacada pelo ex-namorado, único suspeito do crime. De acordo com amigos e parentes, o casal ficou junto durante três anos, mas tinha o histórico de idas e vindas e teriam se separado a poucos dias do crime. A polícia informou que não havia registros de boletim de ocorrência por violência contra a mulher ou medida protetiva.   Djalmo Henrique está preso desde novembro de 2020. Ele se apresentou na delegacia de Itajubá 18 dias após matar a ex e já havia um mandado de prisão preventiva contra ele. Após a condenação, ele foi levado pela polícia penal para o presídio de Pouso Alegre, a 40 km de Conceição dos Ouros.



Postar um comentário

0 Comentários