Cadáveres de 410 civis foram encontrados em áreas liberadas perto de Kiev

 Segundo o site https://www.folhape.com.br/noticias: Ucrânia acusa exército russo de executar um "massacre deliberado" na cidade de Bucha

Os corpos de 410 civis foram encontrados nos territórios da região de Kiev recentemente retomados do exército russo pelas forças ucranianas, informou neste domingo (3) a procuradora-geral ucraniana Iryna Venediktova.                                                                                          

"Os peritos forenses já examinaram 140 deles", acrescentou durante uma transmissão em vários canais de televisão ucranianos. A Ucrânia, que retomou no fim de semana o controle de toda a região de Kiev do exército russo, acusou Moscou de executar um "massacre deliberado" na cidade de Bucha, 30 quilômetros ao noroeste da capital.                            Quando as forças ucranianas retomaram o controle da localidade, vários corpos de civis foram encontrados nas ruas de Bucha. Neste domingo, as autoridades locais levaram correspondentes da AFP até uma vala comum com 57 corpos, alguns deles parcialmente enterrados.                                  

No sábado, jornalistas da AFP observaram 20 cadáveres espalhados em uma rua, todos com roupas civis e alguns deles com os braços amarrados às costas. O ministério da Defesa da Rússia afirmou neste domingo que as forças militares do país não mataram civis em Bucha e que as imagens de civis assassinados eram uma fabricação da Ucrânia.

"Durante o tempo em que esta localidade esteve sob controle das Forças Armadas russas nenhum morador sofreu ações violentas", afirma o ministério em um comunicado. As tropas russas ocuparam Bucha três dias após o início da invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro.

Kiev também acusou Moscou de matar civis na cidade de Irpin, que assim como Bucha foi destruída em bombardeios.  As autoridades afirmam que pelo menos 200 pessoas foram assassinadas em Irpin - que caiu sob controle das forças russas no primeiro dia da guerra - desde o início da ofensiva de Moscou.            

Postar um comentário

0 Comentários