MPPE remete segunda denúncia contra acusado de matar duas jovens em Glória do Goitá

 Segundo o site https://www.folhape.com.br/noticias: Desta vez, a denúncia é pela morte de Kauany Mayara, de 18 anos

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) remeteu à Justiça a segunda denúncia em desfavor de Edson Cândido Ribeiro, apontado como responsável por matar duas jovens em Glória do Goitá, na Zona Mata do Estado, no final de janeiro.

A segunda denúncia é pela morte de Kauany Mayara Marques da Silva, de 18 anos. Em 1º de fevereiro, o corpo da jovem foi encontrado em avançado estado de decomposição em um bueiro no centro de Glória do Goitá. Ela estava desaparecida há três dias, na ocasião. 

A denúncia foi remetida na quarta-feira (16), quase um mês após a primeira denúncia em desfavor de Edson, pela morte de Jailma Muniz da Silva, de 19 anos.                                                                                      "Com o recebimento da denúncia [pela morte de Kauany], Edson Cândido Ribeiro tem um prazo de dez dias para apresentar sua defesa à Justiça", disse o MPPE, em comunicado oficial.

O MPPE imputou a Edson o crime de homicídio qualificado pela morte de Kauany, com qualificadoras por motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima e feminicídio.

Prisão preventiva
Além da denúncia pela morte da jovem, a Justiça também deferiu o pedido do MPPE e concedeu prisão preventiva do acusado, que já encontra-se detido em unidade prisional, "a fim de assegurar a segurança pessoal dos parentes das vítimas e testemunhas, a manutenção da paz social e a garantia da instrução judicial". 

Edson Cândido está preso desde 7 de fevereiro, quando se entregou à polícia após uma caçada que durou mais de uma semana. 

Caso Glória do Goitá
Edson Cândido Ribeiro, de 35 anos, é apontado como responsável pela morte das jovens Jailma Muniz de Souza, de 19 anos, e Kauany Mayara Marques da Silva, de 18 anos, na cidade de Glória do Goitá, Zona da Mata de Pernambuco. Os crimes ocorreram no final de janeiro de 2021. 

Jailma Muniz, de 19 anos, foi estuprada e assassinada a golpes de arma branca, em 31 de janeiro. Ela levava comida para os familiares que trabalham na agricultura quando foi abordada por Edson. O corpo dela foi encontrado pela própria família no Sítio Cueiras, que fica às margens da rodovia PE-50, a poucos metros da casa onde Jailma morava.  

Kauany Mayara Marques da Silva desapareceu em 29 de janeiro. Ela, que tinha 18 anos, teve o corpo achado, em 1º de fevereiro, em avançado estado de decomposição em um bueiro no centro da cidade. 

Após os crimes, as buscas por Edson destacaram diversos policiais para a região e duraram cerca de oito dias, até ele ser preso, em 7 de fevereiro. Na operação, helicópteros, viaturas e cães farejadores foram usados, bem como a polícia contou com o apoio da população.

Relembre o momento da prisão de Edson Cândido:   

Postar um comentário

0 Comentários