Jovem acorda com barriga aberta em praia de Guarapari, no Espírito Santo

 Segundo o site https://interior.ne10.uol.com.br/noticias: Família acredita que jovem e namorada podem ter sido vítimas de ação criminosa

Um jovem de 20 anos acordou com a barriga aberta e parte dos órgãos à mostra na Praia do Ermitão, em Guarapari, no Espírito Santo. Tudo ocorreu no dia 16 de janeiro, mas foi divulgado apenas nessa segunda-feira (31).        

Segundo informações da Polícia Civil, o homem teria acordado ao lado da namorada e foi socorrido pelo Samu. Ele foi internado em um hospital de Vitória e sobreviveu ao ferimento. A mulher tinha cortes na mão, pernas e hematomas na cabeça e também foi socorrida.

A Polícia Civil ainda não sabe o que teria acontecido. Uma das versões que chegou à polícia seria de que os jovens teriam utilizado entorpecentes na noite anterior e a namorada teria ferido o namorado acreditando ser "cirurgiã".                                                                                                                         A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari, no entanto, explicou em nota que não é possível afirmar que a mulher esteja envolvida no crime. Em depoimento, o casal disse não lembrar do que ocorreu à noite.

"A Polícia Civil informa que o fato é de conhecimento da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Guarapari, que já iniciou diligências para elucidar o caso. Até o momento não há como afirmar que a namorada da vítima esteja envolvida. Nenhum suspeito foi detido e detalhes da investigação não serão divulgados, por enquanto", disse nota.                    No local, a Polícia Militar informou que foram encontrados algumas marcas de sangue, uma mochila com os pertences, cacos de vidro, garrafa quebrada e alguns pequenos órgãos espalhados.

Família acredita que casal foi vítima de ação criminosa

As famílias dos jovens afirmam que o casal estava participando de um luau quando foi vítima de uma "ação criminosa e violenta praticada por terceiros". Em nota enviada ao G1 pelo advogado Lécio Machado, ainda não se sabe quem seriam os suspeitos do crime.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, as famílias vão prestar depoimento durante a semana. Apenas um vigilante que trabalhava no parte no momento do crime foi ouvido pelos policiais.

*Com informações do G1 Espírito Santo e portal Extra     


Postar um comentário

0 Comentários