Câmara Municipal de Surubim

Câmara Municipal de Surubim
Câmara Municipal de Surubim

Comércio de BH fica movimentado nesta sexta-feira, véspera de Natal

 Segundo o site https://www.otempo.com.br: Alguns lojistas, no entanto, afirmam que a movimentação está inferior a outros anos

Faltam poucas horas para a ceia de Natal e vários consumidores saíram às ruas nesta sexta-feira, 24, para fazer as comprinhas de última hora. A reportagem de O TEMPO percorreu vários pontos de comércio no hipercentro de Belo Horizonte e acompanhou a movimentação dos consumidores e lojistas. 

Moradora de Betim, a diarista Mônica Andressa Alves estava feliz com a quantidade de sacolas que tinha em mãos. Ela desembolsou R$400,00 para não deixar faltar presentes para os familiares.Ao todo, ela comprou brinquedos e sapatos para presentear 12 pessoas. “Garimpei bastante para gastar o mínimo possível”, conta ela. “Para mim não comprei nada, eu prefiro dar presentes do que receber”, acrescenta.                                                                A psicóloga Crisdele Silva, de 33 anos, comprou presentes para entregar às crianças da família e os últimos ingredientes para a ceia de Natal. Na lista de compras estavam arranjos e enfeites natalinos. “Brasileiro deixa para última hora, posterga uma situação que poderia já ter resolvido, deixa para última hora e fica essa loucura no Centro”, brinca. 

VENDAS AQUÉM 

O locutor Cláudio Rodrigues, que trabalha em uma loja de roupas no Centro de BH, afirma que as vendas, nesta sexta-feira, está abaixo do esperado. Segundo ele, os consumidores se anteciparam para as compras neste ano. ”Na minha opinião o dia D do comércio no Natal aconteceu na terça-feira que teve uma movimentação mais intensa”, opina. 

O flanelinha Fabrício Rocha, de 42 anos, disse que o movimento no Centro, em 2021, está abaixo do que em outros anos. “A movimentação era pesada, hoje está fraco o movimento. Não é o mesmo Natal. Pessoal não está vindo porque não está tendo dinheiro”, relata. Ele, no entanto, diz que a arrecadação olhando os carros não diminuiu. “Para mim nunca para, porque olhando carro sempre entra alguma coisa, não para”, acrescenta. 

‘NÃO POSSO RECLAMAR’, DIZ AMBULANTE 

Vendedora de embrulhos e itens decorativos para presentes de Natal, Maria do Rosário da Silva, de 58, comemorou a movimentação de clientes nesta sexta-feira. “Não está sendo grande coisa igual muito tempo atrás, mas as vendas estão boas, melhores que ano passado. Não posso reclamar, muita gente comprando”, contou.

*Com colaboração de Simon Nascimento   


Postar um comentário

0 Comentários