Header Ads Widget

header ads

Professora é proibida de entrar em Secretaria de Educação por "roupa inadequada"

 Segundo o site https://www.folhape.com.br/noticias: Caso foi denunciado pela própria professora, que trabalha na Escola Municipal Zuleide Fernandes, em Natal, no Rio Grande do Norte

professora Tânia Maruska Petersen, da rede municipal de ensino de Natal, no Rio Grande do Norte, foi proibida de entrar na Secretaria Municipal de Educação (SME), na última quinta-feira (11), por conta de sua roupa. Dois homens, o chefe de patrimônio da SME e um segurança, alegaram que ela estaria vestida de forma inadequada.                              

"Em pleno século 21 é inadmissível que uma mulher seja julgada pela roupa que está usando. Principalmente porque o meu vestido não é inadequado. Fica claro que é mais um caso de machismo", disse a professora em entrevista ao Portal G1.

O caso foi denunciado pela própria professora, que trabalha na Escola Municipal Zuleide Fernandes. Segundo Tânia Maruska, ela foi à Secretaria para assinar alguns documentos. "Quando eu cheguei, a segurança disse que achava que eu não poderia entrar por causa da minha roupa e que iria acionar o chefe. Ele já chegou dizendo que a roupa era inadequada. Eu perguntei quais eram os critérios, já que eu estava com um vestido normal."

Em nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública (Sinte/RN) se pronunciou sobre o caso e disse que se solidariza com a luta da professora.

Nota da SME na íntegra:
Sobre o episódio denunciado pela professora Tânia Maruska Petersen, a Secretaria Municipal de Educação de Natal está apurando os fatos para tomar as devidas providências. A SME-Natal lamenta o episódio e esclarece, que na ocasião a professora foi atendida na sequência em sua demanda pela diretora do Departamento de Administração Geral.

Na oportunidade, a SME-Natal reafirma o respeito às professoras e professores, como também, a qualquer cidadã ou cidadão que procura atendimento na sede da SME-Natal, no Centro Municipal de Referência em Educação Aluízio Alves (Cemure), ao anexo no qual funciona o Departamento de Atenção ao Educando (DAE) e nas 146 unidades de ensino distribuídas pelas quatro regiões administrativas da cidade.  

Postar um comentário

0 Comentários