Header Ads Widget

header ads

Gastos com educação em Pernambuco crescem 8% em comparação com 2020

 Segundo o site Assessoria de Imprensa Mobills Gabriela Cardoso: Recuperação iniciada em outubro do ano passado deve-se ao investimento de instituições de ensino em tecnologia e renegociação de valores

Mobills, startup de gestão de finanças pessoais, analisou dados de mais de 900 usuários de seu aplicativo em Pernambuco entre os meses de janeiro de 2020 e fevereiro de 2021, e constatou que os gastos com educação em Pernambuco cresceram 8%, em comparação com a média registrada no começo do ano passado.


Na análise, é possível observar que os meses de abril e setembro de 2020 foram os                                       com maior queda em relação às despesas na categoria. Já no mês de outubro de 2020,                                    os gastos saltaram, no gráfico é possível observar que neste período e em                                                        fevereiro de 2020, mês pré pandemia no Brasil, os pernambucanos gastaram mais do                                     que em todos os outros meses com educação. Os registros analisam despesas                                                     com escolas, cursos de idiomas, especialização e também capacitação, além de                                    universidades.

Em abril de 2020, quando se intensificaram as medidas de isolamento social devido                                              à pandemia no Brasil, os gastos registrados com educação no estado caíram 20% em                                          comparação com janeiro do mesmo ano. Porém o menor piso do ano aconteceu                                                    em setembro, com um percentual 28% menor do que em janeiro. "Isso aconteceu                                            porque as pessoas não podiam prever o que ia acontecer, o cenário era incerto e                                    preocupante para muitas famílias. Algumas pessoas desmatricularam filhos de                                              escolas particulares, outras optaram por renegociar valores, abandonaram cursos e                                  faculdades, até porque muita gente ficou desempregada. Em setembro podemos                                          prever que a baixa se deu porque houve um aumento de casos de covid no estado e                                          que isso pode ter refletido em algumas pessoas afastando os filhos das escolas.                                                Em outubro, quando a economia voltou a reagir, inclusive com parcelas do auxílio                                    emergencial chegando a mais pessoas, começamos a ver um movimento de recuperação                                também para o setor de educação", explica Carlos Terceiro, CEO da Mobills.

Em outubro, as despesas registradas com educação em Pernambuco foram 18%                                      maiores do que o valor registrado em janeiro de 2020. Para o especialista em                                   nn    educação e sócio-diretor da startup Evolucional, Vinícius Freaza, a retomada do                                                investimento que as famílias fizeram em educação aconteceu porque as instituições                                          de ensino se adequaram melhor à tecnologia. "Escolas, por exemplo, passaram a                                                investir em novas ferramentas e até aperfeiçoaram seus métodos pedagógicos.                                        Algumas delas adotaram também plataformas de avaliação online para os alunos",                                  comenta.

A empresa de Freaza é responsável por levar simulados do Enem, entre outras                                            ferramentas, para mais de 3 mil instituições de ensino particular do Brasil. Eles                                      precisaram adequar seu produto, que era aplicado em papel para os alunos, para                                           uma plataforma online, que todos pudessem acessar de suas casas e continuarem                                           se preparando para o principal exame nacional do Ensino Médio. "É interessante                                           notar que o aumento de gastos de setembro para outubro pode ter sido puxado pelo                                  investimento dos pais que matricularam seus filhos em escolas mais preparadas com                                            a tecnologia. No ensino médio, os alunos precisavam se manter em preparação para a                                      prova do Enem, mesmo à distância, e as escolas que melhor ofereceram isso receberam                                  mais alunos. No início de 2021, é possível ver um forte aumento de despesas,                                          momento também que as instituições começam a aplicar seus reajustes anuais e que                                        mais instituições estão preparadas com novas plataformas e ferramentas tecnológicas."                                        , analisa o sócio-diretor da Evolucional

Postar um comentário

0 Comentários