terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Viajar de carro ou de transportes públicos? Eis o que muda no próximo ano

 Segundo o site https://www.noticiasaominuto.com: O próximo ano traz novidades para o setor dos transportes. Saiba o que muda.

próximo ano traz várias novidades. Na segunda-feira o Notícias ao Minuto preparou-lhe um guia sobre o que acontecerá aos preços, hoje falamos sobre o setor dos transportes e as alterações que em 2021 podem ter impacto na sua vida.                

  • Tem carro próprio? Preços das portagens vão manter-se

Os preços das portagens nas autoestradas deverão voltar a manter-se em 2021, tendo em conta que a taxa de inflação homóloga, sem habitação, em outubro foi negativa (-0,17%).

A fórmula que estabelece a forma como é calculado o aumento do preço das portagens em cada ano estabelece que a variação a praticar em cada ano tem como referência a taxa de inflação homóloga sem habitação no continente verificada no último mês para o qual haja dados disponíveis antes de 15 de novembro, data limite para os concessionários comunicarem ao Governo as suas propostas de preços para o ano seguinte.

  • Impostos sobre a compra e utilização do automóvel vão ficar inalterados

Os impostos sobre a compra e utilização do automóvel vão manter-se no próximo ano. O Governo congelou o Imposto Sobre Veículos (ISV) e o Imposto Único de Circulação (IUC), segundo o Orçamento do Estado para 2021 (OE2021).

  • Cálculo do ISV para carros importados usados será alterado

A proposta do PS que prevê que reforça o peso da idade do veículo na componente ambiental para efeitos do cálculo do ISV foi aprovada durante a votação na especialidade do OE2021.

Em causa está uma proposta do PS que, mantendo o objetivo inicial do OE2021 em alterar a fórmula de cálculo do ISV nos veículos usados importados de outro país da EU, ao contemplar "percentagens de redução" na componente ambiental, reforça esta redução em função da idade do veículo.

  • Taxa de carbono acima dos 5 cêntimos por litro de combustível

A partir de 1 de janeiro de 2021, os consumidores vão pagar uma taxa de carbono de cerca de 5,4 cêntimos por litro de gasolina e de 5,9 cêntimos no caso do gasóleo, segundo cálculos do Negócios. A taxa de carbono foi definida pelo Governo em portaria publicada em Diário da República

  • Governo mantém apoio a veículos de baixas emissões

O Governo vai manter os apoios a veículos de baixas emissões, que abrange automóveis e motas, convencionais ou elétricos, e bicicletas.

"No âmbito das medidas da ação climática é mantido o incentivo à introdução no consumo de veículos de zero emissões, financiado pelo Fundo Ambiental, nos termos a definir por despacho do membro do Governo responsável pela área do ambiente e da ação climática", segundo o OE2021.

  • Viaja de transportes públicos? Preços também se mantêm (Alfa é exceção)

Os preços do transporte público coletivo de passageiros vão manter-se inalterados em 2021, de acordo com a informação divulgada pela Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT).

Os preços das viagens no Alfa Pendular são uma exceção ao aumentarem 0,5% a partir de 1 de janeiroAssim, por exemplo, uma viagem no Alfa Pendular só de ida entre Lisboa e Braga, passará de 48,50 euros (em classe conforto) e 34,20 euros (turística), para 48,80 euros e 34,40 euros, respetivamente.

  • Taxa de dois euros aos passageiros ainda carece de regulamentação 

O Governo avança em janeiro com a regulamentação da taxa de carbono de dois euros aos passageiros de voos internacionais e navios cruzeiro, para aplicar a partir de 1 de julho, disse à Lusa fonte oficial do Ministério das Infraestruturas. A aplicação desta taxa deverá arrancar em julho. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário