segunda-feira, 14 de dezembro de 2020

Estudante de 16 anos morre estrangulada na zona leste de SP; namorado é preso

 Segundo o site https://www.noticiasaominuto.com.br/brasil: O caso foi registrado como violência doméstica e feminicídio, que é quando a vítima é morta por ser mulher

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Uma estudante de 16 anos foi morta na noite de sexta-feira (11), na avenida Fernando Figueiredo Lins, na Vila Curuçá, zona leste de São Paulo. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), o corpo da jovem apresentava sinais de estrangulamento. Namorado da vítima, um ajudante de pedreiro de 26 anos (que não teve o nome divulgado), foi preso como principal suspeito das agressões.                        Em depoimento à Polícia, o pai da estudante disse que o namorado chegou a ir ao Hospital Tide Setúbal, em São Miguel, para onde a jovem foi encaminhada, mas fugiu quando soube da morte dela. Posteriormente, ele compareceu à 7ª Delegacia de Defesa da Mulher, em Itaquera, e foi detido.

O caso foi registrado como violência doméstica e feminicídio, que é quando a vítima é morta por ser mulher. A Secretaria afirma que foi solicitada perícia para o local onde ocorreu o assassinato, além de exame de corpo de delito para o acusado. O celular do ajudante de pedreiro também foi apreendido.

Duas mulheres mortas por dia no estado de SP Entre janeiro e outubro desde ano, 141 casos de feminicídio foram registrados no estado de Sâo Paulo pela SSP, gestão PSDB. Isso equivale a dois casos diários.

No mesmo período do ano passado, foram registrados 140 casos do tipo, representando praticamente o mesmo volume de casos diários dos dez primeiros meses de 2020. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário