sábado, 12 de setembro de 2020

Governo pede a supermercados e produtores explicações sobre aumento de alimentos

 Segundo o site https://www.jornaldobairroalto.com.br: Durante a pandemia, os gastos com bebidas e alimentos voltaram a ser o maior peso no orçamento das famílias brasileiras. De acordo com dados do Instituto Brasileiro de Estatística (IBGE) representam 19,97% do orçamento das famílias brasileiras.                        No mês de agosto, o Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA) subiu 2,44% em 12 meses enquanto a inflação dos alimentos subiu 8,83% no período. Com o isolamento social, as pessoas se movimentaram menos e com o bares e restaurantes fechados, as vendas em supermercados dispararam. A maior demanda na é um dos fatores que pressionou a alta nos preços dos alimentos.                            No mês de agosto, o Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA) subiu 2,44% em 12 meses enquanto a inflação dos alimentos subiu 8,83% no período. Com o isolamento social, as pessoas se movimentaram menos e com o bares e restaurantes fechados, as vendas em supermercados dispararam. A maior demanda na é um dos fatores que pressionou a alta nos preços dos alimentos.  O momento é de organizar compras, pesquisas preços, fazer lista das compras, comprar apenas o necessário, não há necessidade de estocar comida em casa, ir mais vezes ao mercado para aproveitar ofertas, o que significa escolher o dia que compensa mais fazer compras de determinados produtos. Por último, recomenda-se compra em dinheiro, para evitar taxas e juros dos cartões.                                                    19.97% do orçamentoalta nos preçosarnearrozfeijãoGoverno FederalÍndice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA)inflaçãoInstituto Brasileiro de Estatística (IBGE)leiteóleo de sojaorçamento das famílias brasileirasProcon do Paranásupermercados  

Nenhum comentário:

Postar um comentário