quarta-feira, 17 de junho de 2020

Doméstica nega ser ‘sócia’ de empresa com contratos firmados com a Prefeitura do Recife

Segundo o site https://portaldeprefeitura.com.brEmpregada doméstica há mais de 35 anos, Josefa Maria da Conceição foi surpreendida nesta terça-feira (16), com a Polícia Federal em sua porta.Doméstica nega ser ‘sócia’ de empresa com contratos firmados com a Prefeitura do RecifeA mulher citada como possível ‘laranja’ da empresa com contratos firmados com a Prefeitura do Recife é moradora de uma casa simples e sem número em uma comunidade na Zona Norte do Recife.
Empregada doméstica há mais de 35 anos na casa de uma família no bairro de Apipucos, também na Zona Norte, Josefa Maria da Conceição foi surpreendida nesta terça-feira (16), com a Polícia Federal em sua porta.
Segundo as investigações da Operação Antídoto, deflagrada na manhã desta terça-feira (16), ela foi supostamente usada como “laranja” para assinar um contrato como sócia da FBS Saúde Brasil Comércio de Materiais Médicos Eireli, no nome do atual e único sócio Gustavo Sales Afonso de Melo.
O nome de Josefa Maria da Conceição consta como primeira prova indiciária no processo da PF por consistir no pedido de alteração do endereço da empresa, protocolado na Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe), em 13 de julho de 2017. “Por Josefa Maria da Conceição, a administradora à época da criação da FBS SAÚDE BRASIL’”, diz trecho do processo.
“Foi com ele que resolveu isso aí, e eu vou esperar ele resolver. Por enquanto, não posso dizer nada, até porque eu não estava sabendo de nada também. O menino ficou tão surpreso quanto eu, hoje (ontem). Estão resolvendo, usaram o meu nome e o dele e ele está resolvendo”. “O rapaz que fez isso não foi Gustavo, foi Filipe”, disse.
Segundo a PF, Filipe Bezerra Figueiredo seria sócio da FBS Refeições e Lanches LTDA, BLB Avante Atividades de Condicionamento Físico Eireli, outrora denominada FBS Fitness Eireli EPP. Ele foi um dos alvos da operação desta terça-feira (16), e teve a quebra de sigilos fiscal e bancário autorizados pelo juiz federal Cesar Arthur Cavalcanti de Carvalho.
Para a PF, ele e sua esposa, Bárbara Stanford Vieira de Vasconcelos Cavalcanti Brandão, foram padrinhos de casamento de Gustavo Melo e seriam os verdadeiros sócios da empresa. O mandado de busca e apreensão de Filipe e Bárbara foram em um apartamento no bairro de Apipucos, Zona Norte do Recife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário