Igreja evangélica é vítima de incêndio criminoso, no Paraná

Segundo o site https://www.amigodecristo.comUm homem é considerado suspeito de ter ateado o fogo na igreja de maneira premeditada.Igreja evangélica é vítima de incêndio criminoso, no ParanáUm incêndio atingiu a Igreja Luterana Livre Central, em Campo Mourão no Paraná
O Corpo de Bombeiros em Campo Mourão, no Paraná, foi acionado neste (8) para combater as chamas de um incêndio que atingiram a Igreja Luterana Livre Central. Segundo às testemunhas aos bombeiros e aos policiais militares que atenderam a ocorrência apontam que o incêndio foi criminoso.
Segundo testemunhas, um homem é considerado suspeito de ter ateado o fogo na igreja de maneira premeditada. Ele pilotava uma motocicleta CB300 de cor preta e ao parar diante do templo, sacou de sua mochila um galão de combustível com um pavio. Após acender o pavio, fugiu do local.
De acordo o membro Daniel Cardoso, ex-presidente do grupo de jovens da igreja, ainda não se sabe quem era essa pessoa, nem se sabe se ela agiu sozinho. Não houve muito estrago, disse ele à Folha de Londrina.                                                  Colocaram o fogo na porta, mas a sorte é que logo depois da porta só tem um tapete para limpar os pés e um aparador, usado para colocar o vaso de flor e uma bíblia. Só queimou o tapete e um pouco do aparador, destaca.
Quando os bombeiros chegaram conseguiram debelar as chamas e a fumaça tomou conta do salão. Além do aparador, as chamas também queimaram uma cadeira e uma tomada elétrica.
Segundo Cardoso, os fiéis da igreja não possuem rixa com outras pessoas, tampouco com pessoas de outras religiões. “Eu não consigo nem imaginar a motivação. Nunca fizemos nada contra alguém, nunca desrespeitamos outra religião. Não que isso justificasse qualquer ataque.
A gente está lá para levar a mensagem evangélica e o amor. A gente fica triste, com certeza. Também fica triste pela pessoa. Por mais difícil que seja, a gente tem que amar essa pessoa também”, declara.
Ele afirma que gostaria de saber qual a mágoa que teria motivado a ação. “Só queria esclarecer e deixar tudo no preto no branco”, destacou. Atualmente Campo Mourão possui 500 fiéis da Igreja Luterana divididos em cinco templos.
A Polícia Civil ainda não recebeu o relatório da ocorrência elaborado pela Polícia Militar, que atendeu a ocorrência, mas deve iniciar a investigação assim que isso acontecer. 

Comentários