quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Grupo encapuzado invade Cavalaria da PM mas não consegue retirar viaturas

Segundo o site https://www.opovo.com.brO episódio aconteceu na madrugada desta quinta-feira, 20, mas policiais que estavam de serviço na unidade impediram a ação. Alguns veículos tiveram os pneus avariadosFORTALEZA, CE, BRASIL, 20.02.2020: Fachada do quartel da cavalaria, Av. Whashington Soares.  (Fotos: Fabio Lima/O POVO)FORTALEZA, CE, BRASIL, 20.02.2020: Fachada do quartel da cavalaria, Av. Whashington Soares. (Fotos: Fabio Lima/O POVO) (Foto: FÁBIO LIMA/O POVO)
A sede da Cavalaria da Polícia Militar (Regimento de Polícia Montada Coronel Moura Brasil), na avenida Washington Soares, foi invadida por pessoas encapuzadas na madrugada de hoje. O grupo tentou sequestrar viaturas da unidade, mas foi impedido por PMs que estavam de serviço na unidade. Eles teriam reagido, não permitindo que os veículos fossem retirados.
Em nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) confirmou o episódio, mas quando O POVO esteve no local, no fim da manhã, a informação repassada foi a de que nada havia acontecido.
Na mesma resposta, a SSPDS detalhou somente que algumas viaturas tiveram os pneus avariados, mas "todas as providências para a troca de pneus já estão sendo tomadas a fim da retomada dos serviços", diz a nota.
A ação na Cavalaria teria sido parte do motim em andamento realizado por policiais militares, que reivindicam aumento salarial. O movimento dos PMs está no terceiro dia.
Por conta da paralisação dos policiais militares, agentes da Polícia Civil - que respondem pelo trabalho investigativo - estão reforçando o serviço de policiamento nas ruas.

Audiência de custódia: PMs continuam presos

Na manhã desta quinta-feira, 20, em audiência de custódia, a Justiça Estadual manteve as prisões dos três policiais militares detidos na terça-feira. Eles foram presos em flagrante, por equipes do Comando de Policiamento de Choque (BPChoque) após secarem os pneus de uma viatura da PMCE.
Os soldados Jardeson Feitosa Tabusa, Francier Sampaio de Freitas e José Carlos Soares de Morais foram autuados no artigo 149, parágrafo único, do Código Penal Militar (CPM), com pena prevista de 8 a 20 anos, além de ser passível de demissão. No momento da prisão, eles estavam armados com armas da Corporação.
A SSPDS informou que outros crimes com possível envolvimento de militares como autores ou partícipes "estão em apuração". 

Acompanhe a cobertura do protesto dos policiais

Acompanhe a cobertura do protesto dos policiais



Nenhum comentário:

Postar um comentário