quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

Aumenta para 55 número de mortos em Minas, segundo a Defesa Civil

Segundo o site https://www.esmaelmorais.com.brUm balanço da Defesa Civil divulgado no final da tarde desta quarta-feira (29) confirma que aumentou para 55 o número de mortos no estado de Minas Gerais. A maior parte das vítimas morreu em decorrência de soterramento, desabamento ou desmoronamento – 42 pessoas, e nove pessoas morrreram arrastadas pelas águas ou afogadas pelas enxurradas.Além disso, o balanço aponta que uma pessoa ainda permanece desaparecida, na cidade de Conselheiro Lafaiete, a 102 km de Belo Horizonte, e outras 65 ficaram feridas.
As últimas mortes foram registradas em Nova Lima e Tabuleiro. Na cidade da Grande BH, um homem morreu depois que parte da sua casa desabou no bairro Cristais. José Benício Cunha Leão tinha 45 anos e ficou soterrado debaixo dos escombros da residência.
Em Tabuleiro, uma mulher morreu depois que o carro onde ela estava foi engolido por uma cratera. O veículo foi levado pela correnteza.
As mortes foram registradas em Belo Horizonte (13), Betim (6), Ibirité (5), Luisburgo (5), Alto Caparaó (4), Alto Jequitibá (3), Simonésia (3), Pedra Bonita (3), Contagem (2), Divinópolis (2) e uma cada em Carangola, Divino, Manhuaçu, Nova Lima, Olhos D’Água, Sabará, Santa Margarida e Tocantins.                                                                                                                                                                                                          Sobe para 53 o número de mortes causadas pelas chuvas em MG
De acordo com o órgão, existem 137 cidades em situação de emergência e outras cinco em estado de calamidade pública (Orizânia, Ibirité, Catas Altas, Taparuba e Muriaé). O número considera os 101 municípios que tiveram a situação de emergência reconhecida pelo Governo do Estado e outros 36 que emitiram decretos municipais sobre a situação causada pelas chuvas.
Os cálculos da Defesa Civil ainda mostram que existem 44.929 pessoas desalojadas em todo o estado e outras 8.259 desabrigadas em todo Estado.
O governo Zema reagiu sem um plano de contingência para proteger os moradores das áreas mais vulneráveis. O governo federal também não apresentou nenhum plano para minorar os efeitos gerados pelas chuvas em Minas. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário