Violência financeira contra idosos aumenta 272%; maioria dos crimes ocorre nas famílias

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambucoNesta terça (19), seria votado PL que autoriza empréstimo de R$ 90 milhões à prefeitura. Divergência sobre atas de outras sessões motivou protestos pela terceira vez e impediu votação.Guarda Municipal intervém em tumulto na Câmara de Vereadores do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife — Foto: Reprodução/TV GloboVereadores do Cabo de Santo Agostinho, no Grande Recife, votariam nesta terça-feira (19) o Projeto de Lei (PL) que autoriza um empréstimo de R$ 90 milhões à prefeitura do município, mas pela terceira vez, a votação não aconteceu. Houve tumulto durante a discussão das atas das sessões anteriores que trataram do mesmo PL, o que impediu a votação .
A leitura das atas das outras duas sessões começou às 10h40 desta terça. Devido a divergências sobre os registros, houve discussão entre os vereadores. Por volta das 12h30, também aconteceu tumulto entre as pessoas que acompanhavam a sessão. A Guarda Municipal foi acionada e precisou intervir no local.                                                                                                                        Durante a sessão, vereadores da oposição afirmaram que o PL que autoriza o empréstimo financeiro foi rejeitado em reuniões anteriores. Por outro lado, parlamentares da base aliada pediram anulação da sessão ocorrida na terça (12), porque dizem que o tumulto registrado no momento impediu a contabilização de votos do projeto de lei.
Na quarta (13), dia da segunda sessão, a Câmara Municipal do Cabo informou que a sessão não aconteceu porque uma funcionária passou mal e foi levada a uma unidade de saúde. Nesse dia, também houve manifestações contra o PL da prefeitura.
Para que o Projeto de Lei seja votado na Câmara Municipal, é preciso que os vereadores aprovem ou não as atas das sessões anteriores. Como isso não aconteceu, não há previsão de quando o PL entra em votação outra vez.          

Destino da verba

O pedido de financiamento, feito pelo prefeito Lula Cabral (PSB), solicita a verba para investimentos na área de infraestrutura do município. Segundo a oposição, não há garantia de que os recursos vão ser utilizados em obras públicas.
Procurada pela reportagem, a prefeitura do Cabo de Santo Agostinho informou que Lula Cabral está em Brasília, mas não disse quando ocorreu a viagem e quando o chefe do Executivo retorna ao Cabo. De acordo com a Justiça, Lula Cabral já estava autorizado a retirar a tornozeleira eletrônica após a saída da prisão, mas o Judiciário não recebeu comunicado de viagem.

Polêmicas na prefeitura

Por suspeita de envolvimento em um esquema de fraudes no instituto de previdência dos servidores do Cabo, o prefeito Lula Cabral foi preso em outubro de 2018. De acordo com a Polícia Federal, os envolvidos receberam propina para transferir R$ 92,5 milhões do instituto para uma empresa composta por ativos de risco.
Após ser solto em janeiro de 2019, Lula Cabral voltou à prefeitura do Cabo em agosto do mesmo ano, utilizando tornozeleira eletrônica. O retorno aconteceu quatro dias depois de uma liminar deferida pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, que suspendeu a prorrogação do afastamento cautelar.    

Comentários