terça-feira, 5 de novembro de 2019

Justiça nega pedido de Suzane Richthofen para barrar livro sobre sua história

Segundo o site https://www.redetv.uol.com.brPresa alega que obra 'Suzane – Assassina, manipuladora, narcisista e egocêntrica' danifica sua imagemSuzane Richthofen em 'saidinha' da prisão em Tremembé (SP) - (Foto: Reprodução/Twitter)
Suzane von Richthofen, condenada a 39 anos de prisão por matar os pais, teve seu pedido para barrar a publicação de um livro que narra sua história e crime negado pela Justiça. A decisão em segunda instância.
De acordo com Suzane, ela não autorizou a obra ou o uso de sua imagem para ilustrar o livro. Presa na Penitenciária feminina Santa Maria Eufrásia Pelletier em Tremembé (SP), a detenta ainda alegou que "tem direito ao esquecimento" e que a obra causaria um dano irreparável à sua pessoa.
No início de outubro, ela pediu à Justiça uma liminar para barrar a publicação ‘Suzane – Assassina, manipuladora, narcisista e egocêntrica’, escrita pelo jornalista Ulisses Campbell. A pena era uma multa diária de R$ 5 mil, caso houvesse descumprimento.
Mesmo após protocolar as alegações, o pedido foi negado em primeira instância pela juíza Larissa Gaspar Tunala. Na decisão, de 9 de outubro, a magistrada da Comarca de Angatuba (interior de São Paulo), cita entendimento do STF (Supremo Tribunal Federal) de que biografias não autorizadas podem ser divulgadas a despeito da autorização do biografado, “sob pena de afronta à liberdade de expressão e configuração de censura”.
Suzane tentou recorrer da decisão, porém teve o pedido negado novamente em segunda instância, no Tribunal de Justiça de São Paulo. De acordo com a decisão, a argumentação inicial da juíza em primeira instância era cabível para o caso.
‘Suzane – Assassina, manipuladora, narcisista e egocêntrica’
O livro de Ulisses Campbell, intitulado ‘Suzane – Assassina, manipuladora, narcisista e egocêntrica’, será publicado pela Editora Contexto, com lançamento previsto para dezembro. No livro, o autor dá detalhes da história da presa, registrando os fatos do crime até sua vida na prisão.
Para a produção da obra, o jornalista entrevistou pessoas do entorno da presa, como outras detentas, funcionários do sistema prisional e outras pessoas que estiveram envolvidas no caso Richthofen.
Portal RedeTV! tenta entrar em contato com a Editora Contexto e aguarda retorno. A defesa de Suzane Richthofen afirmou que "medidas judiciais serão tomadas".
Veja também!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prefeitura de Surubim comunica vagas abertas para cadastro nas Creches Municipais

Segundo o site Assessoria de Imprensa Prefeitura de Surubim PE:  A Prefeitura de Surubim, através da Secretaria de Educação e Cultura, comun...