Operação interdita quatro e reprova 15 balanças para bagagens no aeroporto do Recife

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: Vistoria realizada nesta quarta-feira (13) aponta que equipamentos operavam de forma irregular, mostrando diferença de peso para mais ou para menos.
Quatro balanças para bagagens foram interditadas e 15 foram reprovadas em uma operação realizada, nesta quarta-feira (13), no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes-Gilberto Freyre, no bairro da Imbiribeira, na Zona Sul do Recife.

De acordo com o Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) e o Ministério Público de Pernambuco (MPPE), os equipamentos estavam operando de forma irregular, apontando diferença de peso para mais ou para menos.
Nas balanças interditadas, o número apresentado no visor é maior do que o peso real das malas, configurando prejuízo ao consumidor, segundo o Ipem. A tolerância é de 100 gramas. Nesses casos, os equipamentos ficam lacrados e não podem ser usados até a realização de outra vistoria.
Nas balanças reprovadas, a diferença do valor mostrado no visor e o peso real da bagagem é para menos. Como não fica configurada lesão ao passageiro, os equipamentos podem ser usados, mas devem passar por outra avaliação.
As balanças devem passar por mais uma vistoria em um prazo médio de 10 dias. Para isso, os responsáveis pelos equipamentos devem entrar em contato com uma oficina credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e solicitar a revisão.
Apenas após as balanças serem vistoriadas novamente por equipes do Ipem, os equipamentos lacrados podem ser utilizados novamente. Ao todo, foram inspecionadas 65 balanças.
A ação ocorre dentro da programação da Semana do Consumidor, que ocorre até sexta-feira (15) e da qual também participam o Procon de Pernambuco e a Ordem dos Advogados do Brasil em Pernambuco (OAB-PE).

Resposta

Procurada pelo G1, a Infraero afirmou, através de nota, que irá providenciar o reparo das balanças e responder aos órgãos responsáveis dentro do prazo estabelecido.
"A empresa reitera que realiza manutenção periódica dos equipamentos, além de seguir as normas do Inmetro. A Infraero também mantém contatos frequentes com as empresas aéreas, que utilizam as balanças da Infraero, para orientar sobre as melhores formas de usá-las e pedir informações sobre eventuais falhas detectadas", afirma ainda o texto.

Comentários