sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Terceiro caso de doença de chagas é registrado em Lábrea, no AM

Segundo o site https://g1.globo.com/am/amazonas: Pacientes diagnosticados com a doença fazem acompanhamento na Fundação de Medicina Tropical. FVS investiga possível contaminação por açaí.Fotos Barbeiro e a Doenças de Chagas: Informações e ...Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), confirmou o terceiro caso de doença de chagas no município de Lábrea, no Sul do Amazonas, nesta quarta-feira (4).
O paciente, assim como os outros dois que foram diagnosticados com a doença na segunda-feira (1º), fazem acompanhamento na Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).
O acompanhamento feito é ambulatorial com o uso de medicamentos, uma vez que a FMT não constatou a necessidade de internação.
Durante esta semana,os pacientes têm consulta no Hospital Universitário Francisca Mendes e, na próxima, devem retornar para consultas na FMT.
Todos os três pacientes foram orientados a buscar uma unidade de saúde com urgência em caso de alguma mudança grave no quadro.

Possível contaminação

A FVS-AM e a Secretaria Municipal de Saúde de Lábrea (Semsa-Lábrea) investigam se a doença foi contraída por meio do consumo de açaí contaminado.
A Fundação de Vigilância iniciou a investigação dos casos já confirmados, e recomendou à Semsa-Lábrea que, por meio da Gerência Epidemiológica, realize a busca ativa de outros possíveis doentes no município.
Segundo informações da Semsa-Lábrea, foram coletadas amostras da produção de açaí que serão encaminhadas para análise no Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-FVS) para confirmação da presença do vetor no produto.

Transmissão e sintomas

Entre as formas de transmissão mais comuns da doença estão a oral, pela ingestão de alimento contaminado com os parasitas; da mãe para o filho de forma congênita e transfusões de sangue.
Os doentes podem apresentar um quadro de febre constante, inicialmente elevada, diarreia, vômito, dores de cabeça e musculares. Casos complicados podem evoluir com manifestações cardíacas, além do comprometimento do fígado e baço.
A principal forma de prevenção é evitar que o inseto forme colônia nas frestas de telhado e parede. Além disso, no caso de consumir produtos in natura, é necessário conhecer bem a procedência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário