Médicos da rede municipal do Recife entram em greve e suspendem serviço ambulatorial

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: De acordo com sindicato, movimento atinge postos de Saúde da Família e Centros de Apoio Psicossocial (Caps). Urgências, partos e vacinação estão mantidos. Prefeitura informou que adesão ficou em torno de 40%.Por causa de grve dos médicos do Recife, posto de saúde deixou de fazer atendimento ambulatorial (Foto: Wagner Sarmento/TV Globo)Os médicos da rede municipal de saúde do Recife entraram em greve por tempo indeterminado, na manhã desta quinta-feira (18). De acordo com a prefeitura, nas primeiras horas do movimento, a adesão ficou em torno dos 40%. A administração municipal informou que não houve fechamento de unidades. Urgências, partos e vacinação não foram afetados e as consultas ambulatoriais prejudicadas serão remarcadas.
De acordo com o presidente do Simepe, Tadeu Calheiros, o movimento tem como objetivo paralisar os serviços ambulatoriais em postos de Saúde da Família e em Centros e Atendimento Psicossocial (Caps). Segundo o sindicato, a rede da capital pernambucana tem cerca de 1.500 médicos. Por dia, os postos de Saúde da Família atendem 5 mil pessoas.
Os médicos informaram que a paralisação foi deflagrada para cobrar à Prefeitura do Recife melhorias em cinco questões principais: segurança, salários, infraestrutura de unidades, readequação de pessoal, além de reposição de medicamentos.
Tadeu Calheiros disse que em 2017, a prefeitura não concedeu reajuste salarial à categoria. “Nós pedimos aumento de 6% ao ano, durante cada ano da atual gestão”, observou. O médico cobrou melhorias em algumas unidades. "Temos postos com mofo e infiltrações. E alguns funcionam em conteineres", acrescentou.
Ele ressaltou que outras reivindicações não foram atendidas pela administração municipal. “Fizemos cinco paralisações são longo dos últimos meses. Foram movimentos de 24 horas e até de cinco dias de suspensão. Faremos uma avaliação do movimento na próxima quinta-feira (25)”, comentou.Letícia Melo foi prejudicada pela greve dos médicos do Recife, nesta quinta-feira (18) (Foto: Wagner Sarmento/ TV Globo)Letícia Melo foi prejudicada pela greve dos médicos do Recife, nesta quinta-feira (18) (Foto: Wagner Sarmento/ TV Globo)

Prejudicados

Por causa da paralisação dos médicos, pacientes ficaram sem atendimento na manhã desta quinta-feira (18). O problema foi registrado por quem esteve no Centro de Saúde Waldemar de Oliveira, em Santo Amaro, na área central da capital.
A faxineira Letícia Melo estave na unidade e relatou que precisava marcar um exame para possibilitar a realização de uma cirurgia. "Disseram que estão em greve e que não vou poder fazer a marcação. Vou ter que juntar dinheiro para tentar atendimento particular", lamentou.
Luciana Almeida também foi afetada pela greve. "Tentei marcar um preventivo de câncer e deixei de trabalhar. Não tem ninguém aqui no posto e dissream que estão de greve", afirmou. Para ela, a situação é absurda. "A gente passa muito tempo esperando atendimento e fica sabendo que não vai ter médico, de surpresa", acrescentou.

Resposta

Por meio de nota, a Prefeitura do Recife informou que realizou diversas reuniões de negociação com o Sindicato dos Médicos de Pernambuco (Simepe) e continua aberta ao diálogo. A administração municipal ressaltou que profissionais tiveram ganhos cerca de 10% acima da inflação, desde 2013.
A prefeitura disse, ainda, que foram nomeados 767 novos médicos no período. Com relação às condições de trabalho, a administraçao municipal informou que realizou, em cinco anos, R$ 200 milhões de investimentos nas unidades de saúde.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

General Heleno: “Vamos fechar o Congresso Nacional. Não existe nenhuma Democracia em nosso País mais.”

Noticia Urgente: Cantor Murilo Manoel de Moura sofre acidente de Moto e chega a óbito

Jovem morre em acidente de transito na PE 90 na cidade de Surubim