sábado, 9 de dezembro de 2017

General que defendeu intervenção militar é destituído de cargo após críticas a Temer

Segundo o site  https://blogdobg.com.br   O movimento ocorre após ele afirmar que o presidente Michel Temer faz do governo um "balcão de negócios" para se manter no poder Conexão JornalismoO general do Exército Antonio Hamilton Martins Mourão disse que o alto comando das Forças Armadas estuda a possibilidade de uma intervenção militar no País. A declaração foi feita na noite de sexta-feira (15) durante palestra em Brasília. No entanto, esta não é a primeira vez que o general dá declarações polêmicas a respeito do tema.
Em outubro de 2015, Mourão foi transferido da Militar Sul para a Secretaria de Economia e Finanças do Exército, em Brasília, depois de dar declarações polêmicas favoráveis a intervenção militar durante falas oficiais. O general tinha defendido o “despertar de uma luta patriótica”.
Na mesma época, Mourão também fez uma homenagem ao coronel Brilhante Ustra, considerado torturador durante o regime militar brasileiro. Ustra foi interrogado pela Comissão da Verdade, em 2013, onde negou ter praticado crimes no período.
Com o afastamento, Mourão perdeu o poder de fala a frente do exército e, portanto, suas opiniões pessoais não seriam confundidas com as do exército. Na época, o general foi substituído pelo general Edson Leal Pujol, que estava na Secretaria de Economia e Finanças do Exército.
Mourão também já foi homenageado durante manifestações realizadas no final de 2016. No dia 4 de dezembro do ano passado, manifestantes ocuparam as ruas do Brasil em apoio à operação Lava Jato. No Rio de Janeiro, foi encontrado um boneco inflável gigante em homenagem ao general Mourão.
R7

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prefeitura de Caruaru recebe prêmio pela excelência na gestão pública

Segundo o site https://caruaru.pe.gov.br:  Na manhã desta quinta (13), o município de Caruaru recebeu duas premiações a partir de uma inicia...