Câmara Municipal de Surubim

Câmara Municipal de Surubim
Câmara Municipal de Surubim

Bolsonaro é lançado candidato à reeleição e discurso de Michelle emociona: “Escolhido de Deus”

 Segundo o site https://www.portaldotrono.com: Neste domingo (24/07), aconteceu a convenção do Partido Liberal (PL) no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ), em que lançou oficialmente Jair Bolsonaro (RJ) como candidato à reeleição à Presidência da República. O general Walter Braga Netto também foi confirmado como vice da chapa.

Neste domingo (24/07), aconteceu a convenção do Partido Liberal (PL) no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ), em que lançou oficialmente Jair Bolsonaro (RJ) como candidato à reeleição à Presidência da República. O general Walter Braga Netto também foi confirmado como vice da chapa.                                Bolsonaro subiu ao palco ao lado de Michelle Bolsonaro e, às 11h30, pegou o microfone. Após citar uma curta passagem bíblica sobre o valor da “mulher virtuosa”, deu a palavra para Michelle abrir os discursos.

A primeira-dama fez discurso em tom religioso. Durante 12 minutos, Michelle disse que o presidente Bolsonaro “é um escolhido de Deus”. “Ele foi o presidente da história que mais sancionou leis para mulheres, para a proteção das mulheres. Setenta leis, 70 leis de proteção para as mulheres. Falam que ele não gosta de mulheres, mas ele sancionou a lei que dava direito às mães com filhos com microcefalia de receber o BPC [Benefício de Prestação Continuada]”, disse Michelle no evento.                                                                                                                Michelle fez agradecimentos, falou sobre patriotismo e elogiou o marido. A primeira-dama também lembrou o episódio da facada sofrida por Bolsonaro na campanha de 2018.

“Vocês estão aqui apoiando um projeto de libertação da nação (…) Quando eu cheguei na Santa Casa e vi meu marido na maca, eu olhei para o teto do hospital e falei ‘o senhor tem controle de todas as coisas’. (…) Essa nação é rica, é próspera. Ela só foi mal administrada. Deus ama essa nação”, disse.


Michelle também citou o texto bíblico de Provérbios 29:2 e defendeu que “a reeleição não é por um propósito de poder, mas por um propósito de libertação”.    Ela afirmou ainda que Deus é o pilar do governo e que há promessas para o país. “Essa nação é próspera, essa nação é rica, ela só foi mal administrada. Deus tem promessas para o Brasil, e essas promessas irão se cumprir. Essa luta não é contra homens e mulheres, é contra principados e potestades”, declarou.

DISCURSO DE BOLSONARO

Bolsonaro discursou por 1 hora e 9 minutos. Pouco antes do fim, convocou os apoiadores para protestar “pela última vez” no próximo 7 de setembro. “Nós somos maioria, nós somos do bem, nós temos liberdade para lutar pela nossa pátria. Convoco todos vocês agora, para que todo mundo, no 7 de setembro, vá às ruas pela última vez”, disse.


Ovacionado pelo público, Bolsonaro fez uma pausa enquanto as caixas de som repetiam um som grave intermitente, como uma espécie de trilha sonora.              Neste domingo (24/07), aconteceu a convenção do Partido Liberal (PL) no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro (RJ), em que lançou oficialmente Jair Bolsonaro (RJ) como candidato à reeleição à Presidência da República. O general Walter Braga Netto também foi confirmado como vice da chapa.                                Bolsonaro subiu ao palco ao lado de Michelle Bolsonaro e, às 11h30, pegou o microfone. Após citar uma curta passagem bíblica sobre o valor da “mulher virtuosa”, deu a palavra para Michelle abrir os discursos.

A primeira-dama fez discurso em tom religioso. Durante 12 minutos, Michelle disse que o presidente Bolsonaro “é um escolhido de Deus”. “Ele foi o presidente da história que mais sancionou leis para mulheres, para a proteção das mulheres. Setenta leis, 70 leis de proteção para as mulheres. Falam que ele não gosta de mulheres, mas ele sancionou a lei que dava direito às mães com filhos com microcefalia de receber o BPC [Benefício de Prestação Continuada]”, disse Michelle no evento.                                                                                                                Michelle fez agradecimentos, falou sobre patriotismo e elogiou o marido. A primeira-dama também lembrou o episódio da facada sofrida por Bolsonaro na campanha de 2018.

“Vocês estão aqui apoiando um projeto de libertação da nação (…) Quando eu cheguei na Santa Casa e vi meu marido na maca, eu olhei para o teto do hospital e falei ‘o senhor tem controle de todas as coisas’. (…) Essa nação é rica, é próspera. Ela só foi mal administrada. Deus ama essa nação”, disse.

Michelle também citou o texto bíblico de Provérbios 29:2 e defendeu que “a reeleição não é por um propósito de poder, mas por um propósito de libertação”.    Ela afirmou ainda que Deus é o pilar do governo e que há promessas para o país. “Essa nação é próspera, essa nação é rica, ela só foi mal administrada. Deus tem promessas para o Brasil, e essas promessas irão se cumprir. Essa luta não é contra homens e mulheres, é contra principados e potestades”, declarou.

DISCURSO DE BOLSONARO

Bolsonaro discursou por 1 hora e 9 minutos. Pouco antes do fim, convocou os apoiadores para protestar “pela última vez” no próximo 7 de setembro. “Nós somos maioria, nós somos do bem, nós temos liberdade para lutar pela nossa pátria. Convoco todos vocês agora, para que todo mundo, no 7 de setembro, vá às ruas pela última vez”, disse.

Ovacionado pelo público, Bolsonaro fez uma pausa enquanto as caixas de som repetiam um som grave intermitente, como uma espécie de trilha sonora.                “Vamos às ruas pela última vez”, reforçou. “Esses poucos surdos de capa preta têm que entender o que é a voz do povo. Têm que entender que quem faz as leis é o Poder Executivo e o Legislativo. Todos têm que jogar dentro das quatro linhas da Constituição. Interessa para todos nós. Não queremos o Brasil dominado por outra potência. E temos outras poucas potências de olho no Brasil.”


Em resposta aos gritos de “a nossa bandeira jamais será vermelha”, Bolsonaro disse: “Peço a Deus que o povo brasileiro nunca experimente as dores do comunismo”, disse ele que também criticou o Supremo Tribunal Federal (STF): “Hoje vocês sabem também quem é o Supremo Tribunal Federal”, falou.                  Ainda no discurso, o chefe do Executivo criticou partidos de oposição: “Jamais defenderei o fechamento da mídia no Brasil. Quem antes dos 20 for de esquerda é porque não tem coração, quem depois dos 20 for de esquerda é porque não tem cérebro. De vale nada um país se o povo escolhe um bandido para a presidência da república. Querem dar a Presidência para um cachaceiro. (…) Vou continuar no meio do povo, aconteça o que acontecer. Vou continuar no meio do povo, aconteça o que acontecer”, disse.

TÓPICOS RELACIONADOS:


    

Michelle Bolsonaro discursa em tom messiânico em convenção: 'Reeleição não é projeto de poder'

Postar um comentário

0 Comentários