Quase 200 corpos são achados em abrigo subterrâneo em Mariupol

 Segundo o site https://noticias.r7.com/internacional: Todas as vítimas encontradas continuam no local porque o processo de retirada e transporte dos corpos para o sepultamento está paralisado

A cidade de Mariupol foi destruída durante confrontos entre russos e ucranianos

ALESSANDRO GUERRA/AFP                                                                                                                                                                           Quase 200 corpos em estado de decomposição foram localizados no que sobrou de um "bunker" em Mariupol, na Ucrânia, segundo denunciou, nesta terça-feira (24), Petro Andryushchenko, assessor do prefeito da cidade portuária.

"Durante a retirada de escombros de um prédio de vários andares, foram encontrados no porão 200 corpos em alto grau de decomposição", informou o representante do governo municipal, em mensagem veiculada no Telegram, conforme publica a agência ucraniana de notícias Unian.                                        Ainda de acordo com o relato de Andryushchenko, os moradores da região se recusaram a recolher os corpos encontrados no local. Dessa maneira, os cadáveres seguem dentro do abrigo destruído.                                                          A retirada parcial de escombros teria feito com que o cheiro dos corpos em decomposição fosse sentido em quase todo o bairro onde estava localizado o bunker.

Andryushchenko explicou que os processos de retirada e transporte para o devido sepultamento, estão, praticamente, paralisados, devido às normas decretadas pela "corporação estatal" de Donetsk.                                                                                  As regras estabelecem que, para o sepultamento "oficial" gratuito, é preciso enfrentar uma fila, depois de o corpo ter sido levado ao necrotério, onde deve ser declarado o achado.

Outra opção é gravar um vídeo em que a pessoa que solicita o sepultamento afirma que a vítima a ser enterrada foi assassinada pelo Exército da Ucrânia, diz Andryushchenko.

"Devido a tais condições, uma grande quantidade de cadáveres foram embalados em um necrotério improvisado", explica o assessor, em mensagem que é acompanhada por fotos da instalação, feita na rua.

"A cidade se transformou em um grande cemitério", lamenta o representante do governo de Mariupol    

    

Postar um comentário

0 Comentários