Governador de SP diz que vai apurar conduta de PMs presos com 77 kg de ouro; dois são do gabinete

 Segundo o sitehttps://g1.globo.com Rodrigo Garcia falou nesta quinta sobre 4 agentes da Polícia Militar de São Paulo detidos com mais 2 homens transportando barras de ouro avaliadas em R$ 23 milhões dentro de carros. Polícia Federal investiga usurpação de bens da União e receptação dolosa.

O governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), afirmou nesta quinta-feira (5) que a Corregedoria da Polícia Militar (PM) vai "investigar a conduta dos policiais militares" presos no dia anterior para averiguação na Polícia Federal (PF) por transporte de 77 quilos de ouro avaliados em R$ 23 milhões.

"O Estado agora está fazendo esse levantamento pra saber se existe crime, se houve algum uso indevido da aeronave. Toda apuração eu já determinei ontem [quarta-feira] à noite, assim quando nos soubemos dessa operação da Polícia Federal", falou Garcia durante coletiva de imprensa para anunciar a entrega de moradias populares na capital paulista. "A Polícia Federal passa a investigar a extração lá de minério, se que é que houve, e nós vamos investigar a conduta dos policiais militares."                                                                                                          Dois dos quatro agentes detidos trabalham na Casa Militar, órgão do gabinete do governador de São Paulo, responsável pela segurança do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo na paulista, entre outras atribuições. Os outros dois detidos são um soldado e um sargento aposentado. Dois homens também haviam sido pegos com o grupo.

Todos os seis foram liberados depois de prestarem esclarecimentos. A Polícia Federal informou por meio de nota que abriu inquérito para apurar a suspeita de crimes de "usurpação de bens da União [quando alguma matéria prima do país é explorada sem autorização legal] e receptação dolosa [quando alguém recebe ou transporta algo que sabe ser produto de crime]". 

O grupo foi detido pela PM a pedido da PF. A Polícia Federal informou que monitorava um avião particular suspeito, modelo King Air Turboélice, que pousou na quarta (4) no aeroporto de Sorocaba. Os agentes desconfiavam que ela levava ouro de origem desconhecida. A Polícia Rodoviária então abordou dois carros no Km 74 da Rodovia Castello Branco, na praça de pedágio em Itu, sentido capital.

Os seis suspeitos estavam divididos nos veículos, transportando barras de ouro em três malas. Eles foram levados à delegacia da PF em Sorocaba, onde foram ouvidos e soltos. O ouro, aeronave e os automóveis foram apreendidos e serão periciados.

O avião não poderia voar porque é objeto de sequestro criminal em outro inquérito policial. As circunstâncias da utilização proibida dela serão apuradas.

Segundo a PF, a carga de metal precioso saiu do Mato Grosso (MT) e Pará (PA). Uma quarta mala com diversos documentos também foi apreendida.                          Veja abaixo os nomes dos seis detidos pela PF:

  • Marcelo Tasso (tenente-coronel PM da Casa Militar)
  • Gildsmar Canuto (sargento PM da Casa Militar)
  • Douglas Cristiano Burin (soldado PM)
  • Marcelo Dantas (sargento PM, atualmente na reserva)
  • Wilson Roberto de Lucca
  • Marcos Pereira dos Santos

O que dizem os citados
O tenente-coronel Tasso afirmou em nota que o ouro transportado estava "devidamente documentado" e que "nada de ilegal foi constatado" na fiscalização e ninguém foi indiciado. O g1 não conseguiu localizar a defesa dos outros cinco averiguados para comentarem o assunto até a última atualização desta reportagem.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), "foi elaborado BO [boletim de ocorrência] de averiguação de extração irregular de minério. O oficial citado está afastado do trabalho desde dezembro. A Corregedoria da Polícia Militar acompanha a investigação".                                                                                                              

“A corregedoria já abriu uma averiguação pra que a gente não faça nenhum pré-julgamento e avalie se esse membro da Polícia Militar correspondia com as funções dentro da lei no seu momento de folga e na sua licença prévia, que é o que ele tá usufruindo”, afirmou o governador .

Por meio de nota, a Casa Militar informou ainda que "afastou imediatamente o praça [o sargento] e esclarece que o oficial [o tenente-coronel] está afastado desde outubro do ano passado para cumprir licenças pendentes para a sua aposentadoria. A ocorrência foi encaminhada para a Corregedoria da Polícia Militar para apuração."

“Ele atuava na Casa Militar até meados do ano passado e aí ele entrou em licenças pra poder ir pra reserva, então ele tá usufruindo de licenças, portanto, não tá ativamente na polícia. Tava fazendo isso num horário de folga, no momento da sua licença, das suas férias, e nós queremos avaliar se, mesmo de licença, tinha alguma conduta vedada que estava ocorrendo”, falou Garcia.

Polícia Federal apreende 77 quilos de ouro em Sorocaba — Foto: Polícia Federal/Divulgação

       


 


                                   
             

Postar um comentário

0 Comentários