Professor cristão é sequestrado e queimado por fazer oração em nome de Jesus; saiba mais

 Segundo o site https://tvjornal.ne10.uol.com.br: Professor foi espancado e queimado por colegas de uma escola islâmica

Um professor evangélico foi sequestrado dentro de sua própria casa e arrastado para dentro de uma mesquita, onde foi espancado e queimado por colegas de uma escola islâmica que planejavam matá-lo por orar em nome de Jesus Cristo.

Segundo informações do portal Gospel Prime, o caso aconteceu na Uganda, no País na África Oriental. 

professor Yusufu Mwanje teria se convertido ao Cristianismo no início deste ano, depois de ouvir um empresário cristão que forneceu equipamentos para a escola orando a Jesus em seu escritório, de acordo com o Morning Star News.                                                                                        

ATAQUE

Antes de ser demitido por ter se declarado cristão, Mwanje liderou a Escola Primária Ibunbaz em Bugiri, mas em 2 de abril ele sofreu o ataque por radicais.

“Eu queria manter minha fé em Cristo em segredo e comecei a perder as orações de sexta-feira enquanto participava das orações da noite na igreja”, disse Mwanje. “Alguns professores muçulmanos notaram minha ausência e relataram ao conselho de administração da escola.”

Por volta das 3 da manhã de 1º de abril, um funcionário não identificado ouviu Mwanje orando em nome de Cristo e o gravou. Na manhã seguinte, o funcionário reuniu outros professores para espioná-lo.                                “Quando terminei as orações às 4h45 e comecei a me preparar para ir à mesquita para rezar, ouvi uma batida na porta”, disse Mwanje.

Ele conta que ao abrir a porta foi atacado por pessoas que gritavam “Allah akbar! [Allah é grande!] Este é um kafir [infiel]”. Ele relata que foi levado para dentro da mesquita e agredido.

“Eles me agarraram e me levaram para dentro da mesquita e começaram a me bater e me acusar de dirigir uma escola muçulmana, mas eu me converti ao cristianismo. Outros gritavam: ‘Um mentiroso, um mentiroso, um mentiroso. … Ele merece a pena de morte”, contou.                                    

PERSEGUIÇÃO

Mwanje continuou: “Lembrei-me [do fornecedor] me dizendo que em tempos de perseguição, eu deveria invocar o nome de Jesus. Quando mencionei o nome Jesus em voz baixa, um agressor disse: ‘ Azab Azab ‘ , que significa ‘castigo’ em árabe. Imediatamente, dois professores islâmicos chamados Ustaz Hamudan e Hashim Sajabbi trouxeram dois velhos galões e os acenderam com fogo e começaram a me queimar com eles. Foi muito doloroso. Eu desmaiei.”

Enquanto sofria as agressões, um professor islâmico chamado Alhaji Bruhan interveio, ordenando que os homens não matassem Mwanje porque Alá o mataria.

“Ele instruiu alguns a me levarem à clínica da escola para tratamento”, disse ele. “Então percebi que Jesus tinha vindo para me salvar.”            


Postar um comentário

0 Comentários