Hidratação e higiene reduzem incidência de furúnculos; saiba como tratar esse tipo de piodermite

 Segundo  site https://www.folhape.com.br/colunistas: Apesar do incômodo, o tratamento costuma ser caseiro na maioria dos casos

Começa com um simples caroço, que vai crescendo no tamanho e no incômodo. Até que deixa a pele ao redor avermelhada e dolorida. Embora estourá-lo pareça ser a solução mais prática e inofensiva, isso não é necessário, já que um furúnculo se trata de uma piodermite, cujo tratamento costuma ser caseiro na maioria dos casos.

              Assim como demais piodermites, como impetigo e foliculite, o furúnculo é uma infecção bacteriana na pele, conforme explica a dermatologista Natalia Parahyba. "No caso do furúnculo, ocorre a infecção do aparelho pilossebáceo, que é a junção do folículo piloso mais a glândula sebácea", detalha.

Essa inflamação pode ser profunda e extensa, além de evoluir com inflamação intensa, que causa os abscessos, que são caroços dolorosos e com pus.                                                                                                      

Segundo a dermatologista Yana Carvalho, quando a infecção é mais profunda, ela pode até deixar uma cicatriz. Por isso, conforme pontua a especialista, é que não se deve estourar esses caroços, porque, além da marca permanente, pode agravar a inflamação.

"Não se deve estourar um furúnculo. Na maioria dos casos, ele é resolvido de forma espontânea, sem necessidade de intervenção clínica", diz Yana. 

No entanto, se a pessoa tem uma tendência maior a desenvolver essas inflamações, é importante entender as causas. "Alguns pacientes estão mais predispostos ao furúnculo por conta de vários fatores, como imunodepressão, diabetes, lesões na pele e até mesmo a má higiene pessoal", acrescentou Carvalho.

Por conta disso, essas pessoas precisam ter mais atenção. Os locais de maior incidência são virilha e axilas, além das áreas de maior atrito. Então qualquer procedimento nessas regiões deve ser feito com ainda mais higiene, além de reforçar a hidratação e trocar as lâminas de depilação com mais frequência, se for o caso.

Tanto o tratamento, quanto a prevenção são simples. Embora seja preciso avaliar cada caso de forma individual, no geral, é baseado em antibioticoterapia tópica ou sistêmica. Alguns cuidados são importantes, como manter a higiene da pele com água e sabões antissépticos, e as compressas quentes ajudam a acelerar a drenagem purulenta.

"Cuidado com a manipulação das lesões próximas aos lábios e nariz, pois pode aprofundar a contaminação e causar abscessos cerebrais. Deve-se ainda evitar roupas que dificultam a evaporação, evitando assim o excesso de umidade, lavar bem as mãos, não manipular as lesões e atentar aos cuidados de higiene pessoal", finalizou a dermatologista Natalia Parahyba.

Postar um comentário

0 Comentários