Homem coloca fogo em casa com a família dentro

 Segundo o site https://www.msn.com/pt-br/noticias/brasil: Um homem de 37 anos foi detido suspeito de colocar fogo na casa da própria família na madrugada desta quarta-feira (02/3) no Bairro Havaí, Região Oeste de Belo Horizonte. Uma criança em um casal de idosos estava no local e foram resgatados por policiais militares, que chegaram a passar mal por causa da fumaça. 

De acordo com a Polícia Militar (PM), uma equipe que patrulhava o bairro viu um imóvel em chamas e várias pessoas pedindo socorro na rua dizendo que os moradores não respondiam aos chamados. Testemunhas disseram que o filho do casal, usuário de drogas, teria sido impedido de entrar no imóvel e ele resolveu queimar a casa para se vingar. 

Os policiais pediram apoio de outras viaturas e acionaram o Corpo de Bombeiros. Como os militares não haviam chegado e o incêndio estava aumentando, os policiais resolveram entrar na casa para retirar os moradores, que estariam no terceiro andar. 

Um dos policiais, identificado como cabo Renan, consegui tirar uma criança de 9 anos, que ficou aos cuidados dos militares e familiares do lado de fora. Depois, ele voltou para retirar o casal. “O resgate do casal de idosos foi mais complexo, sendo necessário apagar as chamas do primeiro andar com o uso de baldes, para que os militares pudessem  acessar os andares acima, onde a fumaça era muito intensa, sem qualquer tipo de visibilidade”, informou a corporação. 

Quinze minutos depois que eles entraram no imóvel, um outro militar, o cabo Martins, conseguiu resgatar o casal de idosos. Um de cada vez, eles foram passados por uma janela para o cômodo ao lado, onde foram acolhidos pelos outros policiais e levados para a rua. 

Quando os bombeiros chegaram ao local, eles prestaram os primeiros socorros à família e apagaram os focos de incêndio. O suspeito foi identificado e detido. Quatro policiais militares inalaram muita fumaça e começaram a passar mal, sendo levados ao Pronto Socorro do Hospital Militar e para o Hospital Santa Rita. 

Postar um comentário

0 Comentários