Banco Mundial anuncia ajuda de mais de US$ 1 bilhão ao Afeganistão

 Segundo o site https://www.folhape.com.br: Instituição, com sede em Washington, teve que suspender sua ajuda a Cabul no fim de agosto, depois que os talibãs retornaram ao poder

O Banco Mundial anunciou nesta terça-feira uma ajuda humanitária de mais de 1 bilhão de dólares para o Afeganistão, enfatizando que os fundos serão destinados a agências da ONU e ONGs internacionais, e permanecerão "fora do controle do governo interino talibã".

A ajuda visa a “apoiar a prestação de serviços essenciais, proteger os afegãos vulneráveis, ajudar a preservar o capital humano e serviços sociais e econômicos-chave e reduzir a necessidade de assistência humanitária no futuro”, informou a instituição.                                                A ajuda financeira será prestada "na forma de subsídios", por meio da realocação de recursos do Fundo Especial para a Reconstrução do Afeganistão (ARTF), e se soma ao montante anunciado em 10 de dezembro, no valor de 280 milhões de dólares.

A instituição, com sede em Washington, teve que suspender sua ajuda a Cabul no fim de agosto, depois que os talibãs retornaram ao poder.

ARTF é um fundo fiduciário de vários doadores, que coordena a assistência internacional para melhorar a vida de milhões de afegãos. O Banco Mundial administra o ARTF em nome dos parceiros doadores.

Antes de os talibãs assumirem o poder, o ARTF era a maior fonte de financiamento do desenvolvimento afegão. Diante da impossibilidade de entregar dinheiro diretamente ao regime talibã, não reconhecido pela comunidade internacional, e diante da crise humanitária e econômica naquele país, o Banco Mundial decidiu realocar esses fundos para organizações como o Unicef.

A população afegã enfrenta uma escassez de alimentos e pobreza crescente desde que os talibãs tomaram o poder. O objetivo da nova ajuda é "proteger os afegãos vulneráveis e contribuir para preservar os serviços econômicos e sociais essenciais", ressaltou o Banco Mundial.     

Postar um comentário

0 Comentários