Header Ads Widget

header ads

Temporada de chuvas: 11 estados enfrentam enchentes e alagamentos neste começo de ano

 Segundo o site https://www.folhape.com.br/noticias: A região nordeste foi a mais impactada pela intensidade das chuvas, com o estado da Bahia entre os casos mais críticos do país,

Fortes chuvas que atingem o país desde dezembro em grande parte do país provocaram alagamentos em 11 estados de todas as regiões do Brasil. Devido às tempestades, famílias ficaram isoladas, casas foram cobertas pela água e milhares de pessoas ficaram desabrigadas.

Segundo o portal Climatempo, o fenômeno La Niña, que provoca o resfriamento do Oceano Pacífico se reestabeleceu na primavera de 2021 e continua ativo durante o verão de 2022, contribuindo para manter a chuva acima da média sobre o centro-norte do país e abaixo da média em parte da Região Sul. No país, a chuva deve ser regular e volumosa, com acumulados acima da média histórica.

Região Nordeste foi a mais impactada pela intensidade das chuvas, com o estado da Bahia entre os casos mais críticos do país, registrando 26 mortes até o momento.

A situação no estado é a mais complicada no país. Nesta terça-feira, conforme divulgado pela Superintendência de Proteção e Defesa Civil (Sudec), 93.646 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas. Até o momento, 26 pessoas morreram em decorrência da chuva. Ao todo, 715.634 pessoas foram afetadas pela chuva e 518 ficaram feridas. Nesta segunda, 154 cidades estão sob decreto de situação de emergência.

O Ceará registrou precipitações em todas as regiões do Estado desde o último sábado. Ruas foram tomadas pela água de fortaleza e a região metropolitana, que receberam fortes chuvas. Nas últimas 24 horas, a Funceme registrou pluviometria em 119 dos 184 municípios cearenses. Todas as regiões foram banhadas pelas chuvas.                                           

Os maiores volumes foram observados nas cidades de Barro (109 milímetros), Ocara (97 mm), Aurora (85 mm), Cascavel (80 mm) e Pires Ferreira (75 mm).

As chuvas que atingem o Tocantins há semanas continuam fazendo estragos em várias cidades do estado. Segundo o Corpo de Bombeiros, 340 pessoas estavam desabrigadas, levadas para abrigos públicos e, outras 114 pessoas desalojadas precisaram ir para casa de parentes e amigos. Das 139 cidades do estado, 35 foram severamente afetadas pelas chuvas.

No estado, 130 famílias estão desabrigadas e desalojadas devido à cheia do Rio Tocantins, em Imperatriz, cidade a 629 km de São Luíz, devido ao impacto da intensidade das chuvas na região.

Conforme o Corpo de Bombeiros do Maranhão (CBMMA), 44 famílias estão desalojadas e 86 foram levadas para abrigos provisórios.

Nesta segunda-feira, uma grande erosão cortou parcialmente a BR-010, no km 228, em Governador Edison Lobão, entre Porto Franco e Imperatriz, pelas chuvas.

Segundo o alerta feito pela Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU), vários pontos no estado sofreram com alagamento. Vários pontos ficaram alagados e, em algumas ruas, a água acumulada quase invadiu as residências das pessoas.

Nos últimos três dias, entre o dia 31 dezembro e esta segunda-feira, foram registrados 207,8 mm de chuvas em Teresina. O valor era o esperado para todo o mês de janeiro.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) um alerta vermelho foi dado na região por conta da previsão de fortes chuvas e ventos em parte do território do Piauí. O restante do estado segue sob alerta laranja, desde o dia 27 de dezembro.

Chuvas em todas as regiões do Rio Grande do Norte foram registradas nesses primeiros dias de 2022.

O primeiro domingo de 2022 teve registro de chuvas em pelo menos 61 municípios potiguares, conforme a Empresa de Pesquisas Agropecuárias do Rio Grande do Norte (Emparn).

Cerca de 400 famílias foram afetadas pelas fortes chuvas nos últimos dias no município de Cavalcante, em Goiás.

De acordo com o governo estadual, as chuvas provocaram alagamento e destruíram pontes, deixando muito desabrigados e isolados.

Segundo o Inmet nesta segunda-feira, três alertas de chuvas intensas e um de acúmulo de chuvas para 836 municípios, dos 853 existentes, foram emitidos. Desse total, 718 têm grau de perigo, segundo o instituto, enquanto 118, "perigo potencial".

Dessas 836, 136 cidades, incluindo Belo Horizonte e Região Metropolitana, estão sob alerta para grandes riscos de acúmulo de chuva. Além disso, existe a possibilidade de chuvas intensas, entre 30 e 60 milímetros por hora ou 50 e 100 milímetros por dia, e ventos intensos, de 60 a 100 km/h.

Nessas cidades a chuva pode ocasionar risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas.

Fortes chuvas este domingo colocaram boa parte da cidade de São Paulo em estado de atenção para alagamentos. Conforme dados parciais do Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura de São Paulo, até às 15h25 havia chovido 10,8 milímetros na cidade.

Desde o início da manhã da última quarta-feira, bairros de Florianópolis estão registrando enchentes, alagamentos e deslizamentos por conta das chuvas na região.     

Postar um comentário

0 Comentários