quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Servidor do Tribunal de Justiça do estado é morto dentro de carro em Camaragibe

 Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: Segundo TJPE, Frederico Fraga era chefe-adjunto de secretaria no Recife. Polícia informou que ele estava no banco do motorista e tinha marca de tiro. Entidade disse que ele atuava como motorista de aplicativos.

Um homem foi morto dentro de um carro, nesta quarta (17), em Camaragibe, no Grande Recife. Frederico Marcos de Melo Fraga era servidor do Judiciário, segundo o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). A Polícia Civil disse que ele estava no banco do motorista e tinha marca de tiro.

O crime ocorreu no bairro de Santa Mônica, por volta do meio-dia.           Imagens enviadas para o WhatsApp da TV Globo mostram o veículo       parado em uma rua sem asfalto.

O caso está sendo investigado pela 10a Delegacia de Polícia de                Homicídios, em São Lourenço da Mata, na mesma região.

Por meio de nota, a assessoria de comunicação social do TJPE               lamentou a morte de Frederico Marcos e “desejou conforto a todos                     os seus familiares e amigos”.

Segundo o tribunal, ele atuava no Judiciário como chefe-adjunto de            secretaria na 24ª Vara Cível da Capital, seção A.

“Ele era servidor efetivo do TJPE desde 8 abril de 1994, contabilizando,         portanto, quase 28 anos de exercício no Judiciário estadual             pernambucano”, informou a nota do TJPE.

Aplicativos

A Associação de Motoristas de Aplicativos de Pernambuco (Amape)              informou que a vítima também atuava transportando passageiros.

O presidente em exercício da entidade, Thiago Silva, disse que                     recebeu com indignação e tristeza a notícia dessa morte.                                                              “Em 2019, fizemos um levantamento com o site Fogo           Cruzado e mostramos eque 11 motoristas foram assassinados no                  Grande Recife e quatro ficaram feridos”.

Silva disse que é preciso cobrar providências ao governo e a                    empresas de transporte de aplicativo. “É mais uma vítima de uma                    brutal violência no exercício da atividade”, afirmou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário