quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

Pesquisa revela motivos que levaram brasileiros a se mudar na pandemia

 Segundo o site https://extra.globo.com: Uma pesquisa do QuintoAndar, em parceria com a Offerwise, mostrou que uma em cada seis pessoas se mudou do imóvel onde morava durante a pandemia.

De acordo com o levantamento, 73% dos brasileiros passaram a ver suas casas de forma diferente, sendo que 16,5% acabaram decidindo alugar um outro espaço.

O estudo foi feito com 1.500 pessoas das classes A, B e C, e o nível de confiança é de 95%.                        Independentemente de a pessoa ter se mudado ou não, a relação com a casa se transformou. Muitos fizeram reformas. Estamos num novo cenário e, mesmo depois da pandemia, é provável que as pessoas deem mais valor para características que antes não entravam na lista de prioridades, como ter uma varanda maior para descanso ou para cultivar plantas — comentou José Osse, head de Comunicação do QuintoAndar.                                                                                                                                                      O distanciamento social e a adoção do home office fizeram 31,8% das pessoas sentirem necessidade de ter um escritório em casa. Do total de entrevistados, 28,4% passaram a dar mais importância para área verde no entorno do imóvel, e 25% para o espaço de lazer na própria casa ou no condomínio.

Além disso, 22,4% alegaram precisar de mais espaço e, portanto, de uma casa maior; enquanto outros 22,4% disseram estar em busca de privacidade. Um terceiro grupo (22,2%) destacou a necessidade de encaixar as despesas de moradia, como aluguel e valor do condomínio, em uma nova realidade de orçamento.

Por fim, a maior importância das sacadas foi apontada por 21,7% dos pesquisados; a possibilidade de viver afastado dos grandes centros, por 21,1%; e a necessidade de morar em um local com ampla cobertura de aplicativos de entrega, por 12%.

A pesquisa ainda traz os motivos que podem levar aqueles que não se mudaram ainda a efetivarem a decisão: 28,7% destacam valor menor de aluguel; 19,5%, o tamanho maior do apartamento; e só em terceiro lugar aparece a proximidade do trabalho, com 11,4%.

Tranquilidade e segurança na hora de comprar

Quando se trata da compra de um imóvel, os critérios para a escolha também têm a ver com o bem-estar dos moradores. De acordo com pesquisa da startup Loft, tanto em São Paulo, quanto no Rio de Janeiro, a busca por uma vizinhança tranquila e silenciosa, um local com garantia de segurança 24h e com boas opções de mobilidade são as prioridades.

"Antes da pandemia, os apartamentos eram dormitórios, passava-se pouco tempo dentro de casa acordado, e essa relação mudou completamente com a pandemia e o home office. As pessoas começaram a perceber uma série de necessidades adicionais, porque a casa virou o escritório, o cinema, o lazer... Então, naturalmente, há uma tendência de busca por espaços maiores para se morar", comentou João Vianna, co-fundador da Loft e vice-presidente de Relações com o Mercado.

Ainda de acordo com o levantamento, em São Paulo, o barulho da vizinhança foi apontado por 28% dos entrevistados como o principal motivo de insatisfação com o imóvel atual, seguido por vista ruim ou sem privacidade (23%) e localização ruim (19%).

No Rio, o barulho é apontado como razão do incômodo de 25% dos entrevistados. Em seguida, 24% reclamam da insegurança, e outros 24%, do pouco espaço.      

Nenhum comentário:

Postar um comentário