Header Ads Widget

header ads

Governo de PE propõe passagem de ônibus mais barata fora do horário de pico e aumento de 8,7% no resto do dia

 Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambuco: Redução seria para R$ 3,35 para o Anel A e R$ 4,60 para o Anel B, somente para quem usa o VEM Comum. Empresas pediram 16% de aumento, mas governo sugeriu pouco mais da metade.

O governo de Pernambuco sugeriu às empresas de ônibus uma redução        no valor das passagens no Grande Recife, fora do horário de pico. Com           essa medida, seria criado o chamado “horário social”, das 9h às 11h e             das 13h30 às 15h30, diminuindo a tarifa do Anel A para R$ 3,35 e a do           Anel B, para R$ 4,60, para tentar reduzir as aglomerações no sistema                                                    A modificação faz parte de uma contraproposta ao pedido de aumento                  de quase 16% na passagem, feito pelas empresas de ônibus. O reajuste proposto pelo governo, no                      entanto, é de 8,7% e 8,5% para os anéis A e B, respectivamente. Eles passariam a custar R$ 3,75                           e R$ 5,10. Atualmente, as passagens custam R$ 3,45 (Anel A) e R$ 4,40 (Anel B).

De acordo com o Grande Recife Consórcio de Transporte, que gerencia o transporte público na região,                a aplicação do horário social é válida para quem utiliza o Vale Eletrônico Metropolitano (VEM)                   Comum, exclusivamente nos dias úteis.                                                                                                                                            "Seu objetivo é estimular o melhor escalonamento do uso do sistema, reduzindo a pressão                 no horário de pico, mantendo maior modicidade tarifária para seu usuário". Segundo o secretário de Desenvolvimento Urbano, Marcelo Bruto, a proposta é viável.

"O horário social é viável, vai permitir ou estimular que os passageiros que, hoje, se utilizam do transporte público pagando através de dinheiro ou do cartão VEM paguem uma tarifa um pouco menor que a de hoje, naquele horário em que o sistema é menos demandado. Ao mesmo tempo, vai estimular que você tenha um maior escalonamento da demanda ao longo do dia, pressionando menos o horário de pico", declarou.

Por meio de nota, o governo           informou que o reajuste proposto para as tarifas é menor que o acumulado da inflação entre os anos                   de 2019 e 2020, que foi de 9%.

O governo também disse que, devido à pandemia, houve queda na                 demanda de passageiros, que chega, atualmente, a 60% do que                  existia em março.

No entanto, as aglomerações são diárias dentro dos coletivos e                   terminais. Os passageiros reclamam da demora na chegada dos                 ônibus e da grande quantidade de pessoas dentro deles.

O Grande Recife Consórcio de Transporte disse que estudos                   elaborados para a aplicação do reajuste serão submetidos ao                  Conselho Superior de Transportes Metropolitano (CSTM), no dia                           5 de fevereiro.

Com a revisão          tarifária, segundo o governo, "será viabilizada uma ampliação dessa            oferta em mais 155 veículos, acobertada pela nova tarifa".

Por meio de nota, a Urbana-PE informou que "não tem conhecimento               de proposta do governo para o realinhamento tarifário". Segundo a               entidade, as propostas devem ser discutidas na reunião do CSTM.



            

Postar um comentário

0 Comentários