quarta-feira, 9 de dezembro de 2020

ONU recebe US$ 305 milhões para Fundo de Emergência de 2021

 Segundo o site https://portaldeprefeitura.com.br: Durante encontro por vídeo conferência, mais de 50 doadores comprometeram-se a contribuir para o Fundo Central de Resposta a Emergências da ONU.

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou que já recebeu mais de US$ 370 milhões (cerca de 305 milhões de euros) para o Fundo de Emergência, a fim de ajudar a responder a crises humanitárias.ONU, ONU recebe US$ 305 milhões para Fundo de Emergência de 2021ONU, ONU recebe US$ 305 milhões para Fundo de Emergência de 2021

Durante encontro por vídeo conferência, mais de 50 doadores comprometeram-se a contribuir para o Fundo Central de Resposta a Emergências da ONU, acrescentou a instituição em comunicado.

“Esse fundo é uma das formas mais rápidas de ajudar as pessoas em crises súbitas” e “aqueles que não estão na linha da frente do radar global”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres.

Criado em 2005, o fundo “ajudou este ano milhões de pessoas a terem comida, cuidados, abrigo e proteção”, disse ainda o secretário-geral adjunto das Nações Unidas para Assuntos Humanitários, Mark Lowcock.

Ver mais:

>> Na ONU, Bolsonaro diz que “parcela da imprensa brasileira politizou o vírus”

>> Discurso de Bolsonaro na ONU foi mentira histórica e vergonha para o Brasil, afirma Humberto

>> Programa Jaboatão Prepara é apresentado na ONU

Em 2020, o Fundo de Emergência da ONU beneficiou 65 milhões de pessoas em 52 países e territórios, com um valor total de mais de US$ 900 milhões.

O dinheiro foi utilizado contra a pandemia de covid-19 e outras doenças, em conflitos ou catástrofes naturais (secas, terramotos, furacões) ou para evitar a fome, de acordo com a nota.

A conferência de doadores para o Fundo de Emergência realizou-se dias após de as Nações Unidas terem divulgado uma estimativa das necessidades humanitárias em 2021, de US$ 35 bilhões, que deverão servir para atender a 160 milhões de pessoas.

Da redação do Portal com informações da Agência Brasil


Nenhum comentário:

Postar um comentário