sábado, 28 de março de 2020

Prefeitos, secretários e servidores comissionados têm corte de salários em Olinda e Ipojuca por causa de pandemia

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambucoEm Olinda, redução de vencimentos é de 10% e atinge vários cargos de alto e médio escalões. Em Ipojuca, prefeita cortou 30% dos próprios rendimentos.                   Prefeitura de Ipojuca fica no Grande Recife — Foto: Reprodução/Google Street View                                                             Para reforçar ações de enfrentamento ao novo coronavírus, as administrações municipais de Olinda e de Ipojuca, no Grande Recife, decidiram cortar salários dos prefeitos, secretários e dos servidores com cargos comissionados. As medidas foram determinadas nesta sexta-feira (27) e entram em vigor de forma imediata.
Em Ipojuca, a prefeita Célia Sales (PTB) informou, por meio de   pronunciamento transmitido pela internet, que decidiu descontar                    quase um terço do próprio salário e 10% de vários cargos                        comissionados de alto e médio escalões.
"Em reunião com nosso comitê de crise, tomei a decisão de                                  tirar 30% do meu salário, 10% do salário da vice e 10% dos                            salários dos secretários, assessores, diretores e de alguns cargos comissionados. Com esse valor, poderemos transformar em                          recursos para um projeto da ação social, para as despesas                                  com a saúde", afirmou.
O valor bruto do subsídio da prefeita é R$19 mil. A vice-prefeita                      ganha R$9,5 mil e os secretários da cidade recebem R$14,5 mil.
Os demais cargos comissionados que sofrerão a redução são os                      que recebem entre R$12 mil a R$3.076. A economia poderá ser de R$672.282,15 por mês, segundo o município.                                                                                                  Por meio de nota, o prefeito Professor                      Lupércio (Solidariedade) informou que reduziu em 10% os                   rendimentos do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais,                      executivos e assessores especiais.
Também ficou determinado que, em Olinda, as sobras dos                          valores repassados do Executivo para o Legislativo, que atingem, aproximadamente, R$ 1 milhão, sejam destinadas ao reforço das                 ações da Secretaria de Saúde.
As sobras serão utilizadas na compra de insumos, como máscaras,                 luvas, álcool em gel e contratação de novos funcionários.                                    O prefeito informou, ainda, que determinou o corte de 50% a                                 100% dos gastos com combustível e locação de veículos das                         secretarias não envolvidas nas ações contra a pandemia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário