terça-feira, 10 de março de 2020

Dengue avança nos primeiros meses do ano e deve ter nível de atenção até maior do que o coronavírus

Segundo o site https://www.saogoncaloagora.com.brO ano de 2019 surpreendeu pelo número de mortos. Foram 754 vítimas, atrás apenas de 2015, ano da pior epidemia já registrada.                                                                   Longe do centro das discussões sobre o coronavírus, que assusta o mundo, algumas doenças também merecem atenção, já que possuem mais poder de transmissão e fazem até mais vítimas. É o caso, por exemplo, da dengue. De acordo com balanço divulgado pelo Ministério da Saúde, a doença transmitida pela picada do mosquito tem crescido e já soma mais de 180 mil casos neste ano, com 32 mortes.
Esse aumento é 72% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, segundo dados oficiais. O Estado com mais ocorrência da doença é São Paulo, com 61 mil casos. O ano de 2019 surpreendeu pelo número de mortos. Foram 754 vítimas, atrás apenas de 2015, ano da pior epidemia já registrada. Do outro lado, embora com número crescente de casos confirmados, o coronavírus não fez nenhuma vítima fatal no Brasil                                                 .“É claro que o coronavírus chama mais a nossa atenção. Afinal de contas, ficamos mais surpresos com o novo e com os números que todos os dias são atualizados. Porém, é importante cuidar do nosso dia a dia. No Brasil, a taxa de mortalidade da dengue é muito mais alarmante. Ao mesmo tempo, ela também é mais fácil de evitar”, explica o médico Francisco Simi.
O médico ressalta que, enquanto a infecção pelo novo coronavírus se dá pelas vias respiratórias e está associada a um vírus para o qual ainda não se tem vacina ou tratamento específico, a dengue possui forma de prevenção por meio de tarefas simples que focam em evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti. Eliminar água armazenada que pode se tornar possíveis criadouros é a mais importante. “Ações como essa dependem exclusivamente de todos nós. Com elas, colhemos os resultados positivos lá na frente”, diz.
BOAS PRÁTICAS
O cuidado com o coronavírus é indispensável, assim como é preciso praticar boas ações para evitar a infecção pelo vírus da dengue. “Para as doenças respiratórias, como a gripe e o novo coronavírus, o mais importante é a higienização das mãos para evitar o contágio. Lavá-las várias vezes ao dia e evitar levá-las ao nariz e à boca, é um ótimo começo”, destaca o médico.
A prevenção é sempre a melhor saída. Evite locais com muitas pessoas e com pouca ventilação; lave bem as mãos e os pulsos com água e sabão várias vezes ao dia; escolha lenços descartáveis para limpar nariz e boca; não compartilhe objetos pessoais, como talheres, copos e escova de dente e higienize as mãos com álcool em gel após sair de locais públicos. “Não há razão para pânico quando se fala sobre o coronavírus. Precisamos ter cuidados sim, mas é preciso olhar com o mesmo nível de atenção para doenças que já são nossas velhas conhecidas”, finaliza.                          

Ceará tem 365 casos confirmados de dengue; Fortaleza concentra 150As ações serão intensificadas de outubro a dezembro deste ano, buscando prevenir a proliferação do mosquito Aedes Aegypti

Estado registrou ainda 28 casos de chikungunya e dois de zika vírus. Nenhum resultou em óbito. Em Fortaleza, o número de casos de dengue já é quase três vezes superior ao registrado em mesmo período de 2019                  As ações serão intensificadas de outubro a dezembro deste ano, buscando prevenir a proliferação do mosquito Aedes Aegypti (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza)

Somente no primeiro bimestre do ano, 365 cearenses foram diagnosticados com dengue. O número corresponde a pouco mais que seis casos por dia. No período, também foram confirmados 28 casos de chikungunya e dois de zika vírus, um na Capital e outro em Paraipaba. Nenhum dos casos das arboviroses transmitidas pelo Aedes aegypti no Estado resultou em óbito. Os dados, divulgados em planilha de atualização semanal das doenças de notificação compulsória, são do Controle da Vigilância Epidemiológica do Estado.

A maioria das confirmações de dengue foi registrada em Fortaleza, que contabilizou 150 pacientes até a nona semana epidemiológica deste ano (que se encerrou em 29 de fevereiro). No mesmo período de 2019, a Capital teve quase um terço das confirmações da doença, quando informe semanal da Coordenadoria de Vigilância em Saúde divulgou terem sido contabilizados 58 casos.                                                                                                              Em 2020, o Ceará é um dos 11 estados alertados pelo Ministério da Saúde para possibilidade de surto da dengue a partir deste mês. A preocupação, além do aumento do volume de chuvas e do calor, é a possível dispersão do tipo 2 da doença, que circula no Sudeste e no Centro-Oeste desde o fim de 2018. No Ceará, o sorotipo não circula há mais de dez anos, o que resulta em uma população pouco imunizada para ele.

No Estado, a Sesa deu início à campanha "10 minutos contra o mosquito". Em Fortaleza, a Prefeitura realiza desde outubro a Operação Inverno 2020, com ações paliativas e de educação em saúde. Dentre elas, mutirões regionais em 25 bairros apontados como cenário propício ao maior número de casos; fiscalização de pontos estratégicos; recolhimento de pneus; e parcerias com escolas públicas da rede municipal.
Em 2019, até 28 de dezembro, o Ceará teve 15.110 casos de dengue confirmados. Destes, 17 graves e 13 óbitos. No mesmo período, foram 1.060 de chikungunya. Quanto ao zika vírus, foram 23, sendo três em gestantes. Nenhum caso de síndrome congênita do zika vírus confirmado no ano passado.
Eliminar o foco do mosquito Aedes aegypti é a única forma de prevenção e proteção contra as doenças. Algumas ações eficazes para eliminar focos em casa:
1) Tampar caixa d'água
2) Limpar calha
3) Cobrir pneus e retirar a água acumulada
4) Virar garrafas de boca para baixo
5) Fechar bem o lixo em sacos e tampar a lixeira
6) Colocar areia nos pratinhos das plantas
7) Esvaziar e limpar reservatório de água da geladeira
8) Limpar piscina com produtos químicos
9) Colocar uma tela nos ralos pouco utilizados

Fonte: Campanha 10 minutos contra o mosquito     

   

Nenhum comentário:

Postar um comentário