sábado, 1 de fevereiro de 2020

Novo golpe do 'Boa Noite, Cinderela' usa droga para cavalos em SP

Segundo o site https://www.noticiasaominuto.com.brPessoas em multidões entusiasmadas são alvos fáceis para golpistas que oferecem drinques com entorpecente e até alteram valores de compras

O anestésico usado em cavalos tem em humanos o efeito de induzir um transeNovo golpe do 'Boa Noite, Cinderela'
 usa droga para cavalos em SPQuando Jô acordou na praça da República, centro de São Paulo, não lembrava seu nome ou o que estava fazendo ali na manhã de um sábado recente.E, mesmo que o publicitário de 30 anos tivesse no bolso o celular, que havia sido subtraído por ladrões, não teria achado nele muita informação: as mesmas pessoas que haviam feito transações de R$ 40 mil com seus cartões de crédito e de débito durante a madrugada também haviam mudado as senhas das suas redes sociais, como Facebook, do seu e-mail e do iCloud, sistema de armazenamento remoto de arquivos.

Enquanto subia a avenida Angélica coberto por seu próprio vômito, já que não tinha dinheiro para pegar um táxi, Jô começou a se lembrar da noite anterior. Estava na calçada em frente a uma casa noturna da República até que um homem puxou papo. Aceitou uma cerveja do desconhecido e, depois dos primeiros goles, perdeu a consciência.
Ele foi uma das vítimas de um golpe, o "Boa Noite, Cinderela", em que sedativos são colocados na bebida da vítima. Nos últimos meses, jovens frequentadores de festas do centro passaram a registrar casos do crime, até então mais ligado a casas noturnas caras de bairros nobres.
Ao registrar o boletim de ocorrência, Jô fez um exame toxicológico do IML, que apontou dois tipos de cetamina em sua corrente sanguínea.
O anestésico usado em cavalos tem em humanos o efeito de induzir um transe, em que a pessoa fica desperta e capaz de se comunicar, ainda que sem memórias do que ocorre durante a sedação.
Após trocar as trancas de casa (os ladrões tinham ficado com a chave e o endereço), cancelar os cartões, o chip do celular, conseguir reaver as senhas das redes sociais e passar algumas noites acordando em sobressalto, Jô começaria uma segunda jornada: tentar reaver o dinheiro.
O banco alegou que, como as transações haviam sido feitas com uso da senha, não eram consideradas atípicas. Jô então solicitou ao Banco Central uma lista dos destinatários das remessas de dinheiro, feitas na madrugada.
Recebeu nomes como a Distribuidora Lopes, para onde foi uma das remessas de R$ 4.000 ou mais, e que tem como endereço registrado um prédio residencial na Luz. O porteiro disse à reportagem que não há nenhuma empresa funcionando ali.
"São empresas-fantasma e as transferências foram feitas no meio da madrugada", diz Jô. Outras vítimas narram se lembrar de terem sido levadas para carros, onde haviam maquininhas de cartão nas quais eram induzidas a digitar suas senhas.
O Itaú Unibanco afirma em nota que utiliza "todas as ferramentas disponíveis para orientar clientes a se protegerem contra fraudes". Cada caso é "analisado cuidadosamente, levando-se em conta detalhes das transações e as circunstâncias em que elas ocorreram", afirma o banco, que orienta os clientes "a não compartilharem senhas e dados pessoais com terceiros".
CAMPANHA
Jô é um nome fictício, como todos os demais que aparecerão nesta reportagem. Um sentimento comum entre as vítimas ouvidas é de vergonha. Uma delas não registrou o caso na polícia, e os demais só contaram a desventura para o delegado e para amigos mais próximos.
Nelson, que trabalha numa empresa de comunicação, foi acordado por uma moradora de rua a dois quarteirões de onde foi abordado por dois homens, com quem conversou enquanto estava do lado de fora da boate L'Amour.                                                                "Eu não bebi nada que eles tenham oferecido. Desconfio que tenham colocado algo na minha cerveja". O desfalque foi de R$ 9.000 e um celular. Ficou semanas ressabiado, sem conseguir sair à noite. "É uma violação bem grande, você se culpa no começo", diz ele, quatro meses depois.
O arquiteto Carlos estava saindo da boate A Loca, na rua Frei Caneca, quando foi parado por uma roda de três desconhecidos, que o chamaram para tomar catuaba.
Acordou sete horas depois na avenida Nove de Julho, com R$ 7.000 a menos na conta. Ele agora negocia seu apartamento e planeja uma mudança para o Canadá: "São Paulo me venceu. É impossível ficar em guarda durante as 24 horas do dia".
A Polícia Civil reconhece o problema, e afirma que "investiga todos os casos que são registrados" e que trabalha no centro "para identificar e prender suspeitos de cometerem este tipo de crime".
Nas últimas semanas, agentes do 78º Distrito Policial, nos Jardins, prenderam um homem que foi reconhecido por vítimas. "A equipe de investigação da unidade está em busca de outras vítimas que reconheçam o suspeito", diz a polícia, que afirma ainda cruzar informações de várias delegacias, na tentativa de encontrar outros golpistas.
Festas da região estão se unindo para lidar com o risco. A Tenda, que acontece mensalmente na rua Bento Freitas, já lançou uma campanha advertindo seus frequentadores sobre o golpe.                                                                                                  Um clubber que frequenta a festa posou para cartazes, colados pelo centro, e para um GIF (imagem animada) para ser compartilhado nas redes sociais. "No fim, é lembrar que devemos tomar cuidado com os nossos copos e não aceitar bebida de estranhos", diz o DJ Tiago Guiness.
"Nada novo. Mas talvez seja necessário relembrar". Com informações da Folhapress.          

Substâncias químicas do “Boa noite, Cinderela”     

O golpe “Boa noite, Cinderela” está relacionado com uma mistura formada por bebida alcoólica (veículo da composição) e um ou mais alcaloides.                                                     O “Boa noite, Cinderela” é um golpe no qual a vítima é dopada ao ingerir uma bebida alcoólica misturada com uma ou mais substâncias alcaloides (de origem natural ou sintética). O etanol (álcool utilizado em bebidas alcoólicas), nesse caso, é usado como potencializador dos efeitos da substância.

Homens e mulheres podem ser vítimas do “Boa noite, Cinderela”, um golpe aplicado por pessoas mal-intencionadas com o intuito de realizar assaltos, sequestros ou abusar sexualmente da vítima. Ao ingerir a bebida misturada com a droga, a pessoa tem sua atenção e memória afetadas, o que a torna submissa ao criminoso.
Além de estar suscetível aos crimes citados, a pessoa que cai no “Boa noite, Cinderela” também pode ter sua saúde afetada e pode, até mesmo, morrer, pois não se sabe como a droga fará efeito em seu organismo.

1- Alcaloides

Alcaloides são substâncias químicas que representam cerca de 20% de todas as substâncias naturais existentes. Apresentam uma grande diversidade estrutural e possuem grupos funcionais oxigenados e/ou nitrogenados em cada uma de suas estruturas.     Atropina é um alcaloide tóxico extraído da planta denominada Atropa belladonna.Atropina é um alcaloide tóxico extraído da planta denominada Atropa belladonna.

Analisando a fórmula estrutural da atropina, podemos identificar as funções álcool, éster e amina.
Os alcaloides são utilizados desde a Antiguidade por suas propriedades medicamentosas, mas são também conhecidos pelos efeitos tóxicos que podem apresentar, pois alguns alcaloides funcionam como veneno.
A partir do conhecimento da composição química dos alcaloides, muitas substâncias químicas foram desenvolvidas com o intuito de atuarem como medicamentos para combater envenenamentos, por exemplo. Infelizmente, seu uso não se restringiu a esse aspecto, e os alcaloides passaram a ser usados como droga por muitos indivíduos que buscam fugir da realidade.A cocaína é um alcaloide oxigenado.A cocaína é um alcaloide oxigenado.
Observe que, na estrutura química da cocaína, estão presentes as funções éster e amina. Essa estrutura apresenta uma grande relação com a estrutura da atropina, porém há diferenças entre elas. Além das diferenças em relação à cadeia química, os efeitos que essas substâncias causam no organismo também são diferentes. A cocaína causa náusea, euforia intensa, perda de apetite, ansiedade, entre outros efeitos. Já a atropina causa diminuição do suor, febre, fraqueza, tontura, sensibilidade à luz e perda do paladar.

2- Substâncias químicas usadas no “Boa noite, Cinderela”

Entre as substâncias químicas utilizadas no golpe “Boa noite, Cinderela”, temos a escopolamina, os subprodutos da dimetiltriptamina, a cetamina, o flunitrazepam, o gama-hidroxibutírato (GHB) e alguns anti-histamínicos. Uma ou mais dessas substâncias administradas juntamente com álcool formam uma droga, que pode ser utilizada no “Boa noite, Cinderela”.

2.1- Escopolamina

É um medicamento utilizado para espasmos gastrointestinais, renais e biliares, porém pode levar a efeitos colaterais, como alucinações e delírios.Fórmula estrutural do medicamento escopolamina.Fórmula estrutural do medicamento escopolamina.
Na molécula desse composto, estão presentes as funções orgânicas amina, éster, álcool e éter.

2.2- Dimetil-triptamina

É o nome de uma substância presente em plantas, animais e no próprio ser humano. Ainda não se tem um completo estudo sobre seu efeito ou sobre sua importância no sistema nervoso central. Sabe-se, porém, que tanto ela quanto seus subprodutos têm influências na ansiedade.  Fórmula estrutural da substância dimetil-triptamina ou DMT.                                                                                                  Na molécula desse composto, está presente a função orgânica amina.

2.3- Cetamina

É o nome de uma substância utilizada como anestésico, analgésico e também no tratamento de estados de depressão profunda.    Fórmula estrutural do medicamento cetamina.
Na molécula desse composto, estão presentes as funções orgânicas amida e haleto orgânico.

2.4- Flunitrazepam

É um medicamento de uso controlado, utilizado com a finalidade de diminuir crises de ansiedade e distúrbios do sono.   Fórmula estrutural do medicamento flunitrazepam.     Fórmula estrutural do medicamento flunitrazepam.
Na molécula desse composto, estão presentes as funções orgânicas amida, amina, nitrocomposto e haleto orgânico.

2.5- Gama-hidroxibutírato (GHB)

É uma substância que foi desenvolvida para simular o efeito inibidor do neurotransmissor ácido gama-aminobutírico (GABA). O GHB, porém, pode promover convulsões, redução do ritmo respiratório, queda do nível de consciência e, por isso, seu uso é controlado.   Fórmula estrutural da substância GHB.
Na molécula desse composto, estão presentes as funções orgânicas ácido carboxílico e álcool.

3- Efeitos das drogas do “Boa noite, Cinderela”

As substâncias descritas acima podem ser administradas juntamente com uma bebida alcoólica, que tem capacidade potencializadora. Na aplicação do golpe “Boa noite, Cinderela”, o álcool é também usado com o intuito de disfarçar o crime, pois a reação da vítima dopada é facilmente confundida com a de uma pessoa embriagada.
Os efeitos das drogas usadas no “Boa noite, Cinderela” variam de indivíduo para indivíduo e dependem da dose ingerida. Os sintomas mais comuns são amnésia, sonolência, inconsciência, alucinações, vômitos, podendo evoluir para um estado de coma.
Além dos sintomas relatados, a vítima do “Boa noite, Cinderela” perde a inibição e não consegue discernir o certo e o errado. Dessa forma, não é capaz de agir ou tomar decisões de forma consciente, ficando vulnerável às intenções de outra pessoa.
O efeito de perda de memória causado pelas substâncias do “Boa noite, Cinderela” é chamado no meio médico de blackout. Esse efeito pode ocorrer de forma total ou fragmentada. No blackout total, a pessoa não se lembra de nada do que ocorreu durante a intoxicação. Já no blackout parcial, a pessoa lembra-se de fragmentos do que ocorreu durante o período em que esteve dopada.

4- Duração do efeito do “Boa noite, Cinderela”

A duração da intoxicação pelas drogas usadas no “Boa noite, Cinderela” depende da quantidade, do tipo de substância utilizada e da resposta do organismo da pessoa que foi drogada. De acordo com diversos relatos, o tempo pode variar de algumas horas a 24 horas.
É importante considerar que, caso seja usado benzodiazepínico no golpe “Boa noite, Cinderela”, a vítima pode ter uma parada cardiorrespiratória.

5- Dicas para não cair no golpe do “Boa noite, Cinderela”

• Não aceite bebidas de estranhos;
• Sempre peça sua bebida diretamente ao garçom ou vá ao balcão de atendimento e faça você mesmo a retirada;
• No caso de bebidas com lacre, sempre verifique se não foi violado;
• Descarte sua bebida se ela tiver ficado sobre a mesa durante o período em que você saiu para dançar ou foi ao banheiro, por exemplo;
• Durante uma conversa com algum estranho em uma balada ou festa, por exemplo, sempre mantenha o copo no seu campo de visão.As substâncias do “Boa noite, Cinderela” provocam muita sonolência.          As substâncias do “Boa noite, Cinderela” provocam muita sonolência.
Publicado por: Diogo Lopes Dias                                                                                              

Assuntos Relacionados

     

Nenhum comentário:

Postar um comentário