JUSTIÇA SOLTA QUATRO ENVOLVIDOS NO ATAQUE À ESCOLA RAUL BRASIL EM SUZANO

Segundo o site https://www.sbt.com.brA decisão ocorre um mês antes de completar um ano da tragédia, que deixou dez mortos. Apenas um adolescente está internado na Fundação CasaJá estão em liberdade, por ordem da Justiça, quatro presos por envolvimento no massacre de cinco estudantes e duas professoras na Escola Estadual Raul Brasil em Suzano, cidade da Grande São Paulo. 

Dentre os quatro, dois foram condenados pela venda ilegal do armamento e da munição. São eles Cristiano Cardias de Souza, conhecido como "Cabelo", e Geraldo de Oliveira Santos, o "Buiú". Eles pegaram quatro anos de reclusão em regime aberto, e a pena será convertida em prestação de serviços à comunidade. Já Marcio Germano Masson foi absolvido e Adeilton Pereira dos Santos será julgado pela venda do armamento na capital paulista, já que a participação dele no comércio ilegal não aconteceu na cidade de Suzano.

O Ministério Público queria que os homens que venderam o armamento fossem a júri popular pelas mortes, já que sem a participação deles o crime não teria acontecido. O massacre, que aconteceu no dia 13 de março de 2019, foi feito utilizando um revólver calibre 38 e munições vendidas pelos acusados. Os atiradores, Guilherme Taucci Monteiro de 17 anos e Luiz Henrique de Castro, de 25, foram cercados pela polícia e se mataram. Eles se inspiraram no atentado à escola Columbine, nos Estados Unidos.

O juiz Fernando Augusto Andrade Conceição disse na sentença que não foi encontrada nenhuma prova de que os homens que venderam a arma e a munição aos atiradores sabiam que eles preparavam um massacre. Isso equivaleria a condenar o fabricante de um revólver, por exemplo, por um crime em que a arma foi utilizada.

O único preso pelo ataque atualmente é um adolescente, amigo de Guilherme, que teria ajudado a planejar o crime. O jovem está internado na Fundação Casa.
FIXAR VIDEO NO TOPO

Comentários