Jadson André e Filipe Toledo vencem baterias no Mundial de Surfe em Noronha

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambucoCampeonato Hang Loose promoveu, nesta quinta-feira (13), uma ação social com os estudantes da ilha.Jadson André busca o bicampeonato na ilha  — Foto: Foto: Daniel Smorigo/DivulgaçãoO potiguar Jadson André começou a defender o título do Hang Loose Pro Contest, nesta quinta-feira (13), em Fernando de Noronha. O campeão do torneio mundial, no ano passado entrou na disputa de 2020 com vitória na bateria. Quarto do mundo do surfe, em 2019, Filipe Toledo também venceu o primeiro confronto da terceira fase.
Toledo tirou notas 7 e 6,77, seguidas, com amplo repertório de manobras. Ele venceu a disputa pelas primeiras vagas para a rodada classificatória para as oitavas.
“A gente optou por cair agora na maré seca mesmo, para já tirar essa bateria da frente. Só agradeço a Deus pela oportunidade em estar no paraíso, podendo surfar aqui, porque isso não é pra qualquer um não”, disse Filipe Toledo.Filipe Toledo passou de fase em Noronha — Foto: Foto: Daniel Smorigo/DivulgaçãoJadson fez as notas 7 e 5,50 e somou 12,50 pontos, o suficiente para passar de fase e sonhar com o bicampeonato. “ Para mim, sempre foi um sonho vencer essa etapa da Hang Loose. Ter conseguido isso aqui em Noronha foi algo que nem consigo explicar. Então, se for da vontade de Deus, a gente vai sair daqui com o bi”, disse.

Melhor do dia

O vice-campeão do ano passado, Yago Dora, teve a melhor performance desta quinta-feira. O catarinense executou os aéreos para fazer os recordes do dia, totalizando 14,07 pontos com notas 7,57 e 6,50.
“Estou querendo seguir a mesma conduta do ano passado. É uma onda de que eu gosto muito de surfar, com bastante oportunidades pra ir trocando notas. Acho que é desse jeito que eu tenho que continuar, para conseguir ir avançando no evento”, comentou. O campeonato segue na sexta-feira (14), com chamada às 7h, na Cacimba do Padre.

Ação Social

Na tarde desta quinta-feira, os organizadores do Mundial de Surfe e atletas promoveram uma ação social na Escola Arquipélago. Eles participaram de um encontro com os estudantes da ilha, estiveram no colégio o diretor de prova, Fábio Gouveia, um dos grandes ídolos do esporte no Brasil, e o filho, Ian Gouveia, também surfista.
“Esse contato com os jovens da ilha é muito bom, é um prazer enorme participar e ajudar um pouco da forma que a gente pode”, disse Fábio Gouveia.             Os estudantes tiveram contato com os atletas, duas pranchas foram sorteadas — Foto: Daniel Smorigo/Divulgação
O organizador do Hang Losse, Alfio Lagnado, fez questão de homenagear os ex-alunos da escola, Marlos Amarante, presidente da Associação de Surfe de Noronha, e Thor Moreira, que tem síndrome de Down e trabalha no evento, é responsável por entregar as lycras de competição aos atletas.
“Eu fiz parte dessa escola, aprendi muito, quero ajudar essa nova geração e a Associação de Surfe também. Se Deus quiser um dia o campeão mundial vai sair de Noronha”, previu Marlos.Alfio Lagnado (no centro), fez homenagem a Marlos Amarante e Thor Moreira — Foto: Daniel Smorigo/Divulgação
Foram sorteadas duas pranchar de surfe e kits para os estudantes. O secretário-Executivo de Esportes do Governo do Estado, Diego Pérez, também participou do evento e entregou material esportivo para os jovens da ilha.
“Eventos como esse inspiram, emocionam e motivam. São lições do esporte, formar cidadãos, através da educação, essas oportunidades também trazem esperanças de formação de grandes atletas”, avaliou Pérez.

Comentários