Polícia investiga terceira morte suspeita de intoxicação por cerveja

Segundo o site https://noticias.r7.comDe acordo com o órgão, homem de 89 anos estava internado em um hospital particular de Belo Horizonte e apresentava os sintomas da doençaPolícia investiga causa de contaminaçãoUm homem de 89 anos morreu durante a madrugada desta quinta-feira (16), em Belo Horizonte, com suspeita de intoxicação pela cerveja Belorizontina, da marca Backer.
De acordo com a Polícia Civil, este é o terceiro óbito oficialmente investigado pela corporação em relação à síndrome nefroneural - nome que está sendo dado à doença possivelmente provocada por intoxicação pela bebida que estava contaminada com dois anticongelantes chamados de monoetilenoglicol e dietilenoglicol.
O corpo do idoso chegou às 5h25 no IML (Instituto Médico Legal), onde passa por exame de necropsia que vai apontar se há presença dos produtos químicos em seu organismo.                                                                                         O homem, que não teve a identidade divulgada, morreu em um hospital particular da capital mineira, onde estava internado. Segundo a Polícia Civil, a vítima já estava na lista de pacientes com quadro suspeito, que atualmente tem 18 nomes.

"A Polícia Civil de Minas Gerais trata todos os casos como suspeitos de intoxicação por dietilenoglicol até que o laudo fique concluído. O prazo regular para finalização do laudo é 30 dias", informou a corporação em nota. Demartini Filho morreu em Juiz de Fora (MG)A primeira morte notificada pela síndrome aconteceu em Juiz de Fora, a 240 km de Belo Horizonte. Paschoal Demartini Filho, de 55 anos, foi internado na cidade com quadro de insuficiência renal e alterações neurológicas após passar as festas de fim de ano na casa da filha na capital mineira e consumir a cerveja Belorizontina. Laudos confirmaram que havia dietilenoglicol nas amostras de sangue do homem. O genro dele também está internado.
Nesta quarta-feira (15), a polícia confirmou a morte de Márcio Antônio Quintão de Freitas, de 77 anos, com o mesmo quadro clínico. O corpo da vítima é enterrado em Contagem, na Grande BH, nesta manhã.
Outro óbito
A Prefeitura de Pompéu, a 130 km da capital mineira, foi notificada sobre a morte de uma moradora da cidade que também pode ter sido vítima da síndrome. Segundo a família, a mulher de 60 anos apresentou os mesmos sintomas que os outros pacientes após consumir a Belorizontina durante uma viagem a Belo Horizonte. O caso dela ainda não está contabilizado no balanço da Polícia Civil e da Secretaria de Estado de Saúde.

    Comentários