quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

Lava Jato investiga contratos de afretamento de navios da Petrobras superiores a R$6 bi, diz PF

Segundo o site https://www.saogoncaloagora.com.brDe acordo com a PF, três dessas empresas fizeram mais de 200 contratos de afretamento de navios, entre 2004 e 2015.Resultado de imagem para foto navios da PetrobrasA Lava Jato chega, nesta quarta-feira (18), à 70ª fase da operação e mira contratos de afretamento de navios celebrados pela Petrobras, com responsabilidade da diretoria de Abastecimento, de acordo com a Polícia Federal (PF).
Esses contratos, conforme a PF, ultrapassam de R$ 6 bilhões.
São cumpridos 12 mandados de busca e apreensão nas seguintes cidades:
São Paulo (SP)– 1
Rio de Janeiro (RJ) – 10
Niterói (RJ) – 1
Segundo a PF, esta nova etapa é continuidade de investigações que remontam o começo da Lava Jato, em 2014. São apurados os crimes de corrupção de agentes públicos, organização criminosa e lavagem de dinheiro.
Esta fase foi batizada de "Óbolo". Cerca de 50 policiais federais participam da ação.
Empresas alvos
Quatro empresas são alvos das buscas desta quarta-feira. Os nomes delas ainda não foram informados pela PF. São elas: Maersk, Tide Maritime, Ferchem e Gandra Brokerage, conforme a RPC apurou.
De acordo com a PF, três dessas empresas fizeram mais de 200 contratos de afretamento de navios, entre 2004 e 2015.
Suspeitas
A suspeita da PF é de que as empresas foram beneficiadas com informações privilegiadas da programação de contratação de navios utilizados para transporte marítimo de petróleo e derivados da Petrobras.
Dessa maneira, tiveram vantagem competitiva na captação dos negócios. Há evidências de pagamentos de propina a funcionários da Petrobras, segundo a PF.
'Óbolo'
A PF explicou que o nome desta etapa da Lava Jato faz referência à moeda que, de acordo com a mitologia grega, era usada para remunerar o barqueiro Caronte. Era ele que conduzia as almas por meio do rio que separava o mundo dos vivos dos mortos.   Por: Sandro Araújo
Fonte: G1/PARANÁ
   

Nenhum comentário:

Postar um comentário