Sete apartamentos seguem ocupados no Holiday na primeira noite após fim do prazo para desocupação

Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambucoAo todo, 25 pessoas continuam no local nesta quinta (21). Alguns desses moradores têm mudanças agendadas para sexta (22); outros dizem que não vão sair, segundo síndico.
Sete apartamentos seguem ocupados no Edifício Holiday, na Zona Sul do Recife, na noite desta quinta-feira (21), dia seguinte ao fim do prazo determinado judicialmente para interdição e desocupação voluntária do prédio. Ao todo, há 25 moradores no local. (Veja vídeo acima)

Entre eles, estão pessoas que ainda não conseguiram apoio da prefeitura do Recife para se mudar e também moradores que se recusam a deixar o edifício, de acordo com o síndico do Holiday, José Rufino Neto.
O prazo estipulado pela Justiça, que era de cinco dias úteis, encerrou na quarta-feira (20). Segundo o juiz Luiz Rocha, da 7ª Vara da Fazenda da Capital, que assina a decisão judicial, os sete apartamentos continuam ocupados porque, no cronograma para a desocupação, está previsto o atraso para a retirada dos moradores.
Construído em 1956, o Edifício Holiday foi um símbolo de modernidade arquitetônica na época e, atualmente, reúne uma série de problemascomo estrutura comprometida, ligações clandestinas e inadimplência de moradores. Os riscos foram apontados pela Defesa Civil do Recife e pelo Corpo de Bombeiros.
Edifício Holiday, na Zona Sul do Recife, foi interditado judicialmente — Foto: Pedro Alves/G1
"Existe um limite para a capacidade de atendimento pela Defesa Civil, pelo trânsito da escada, pelo tamanho do Holiday, que requer um processo lento. Por um pedido meu, vamos esgotar todas as possibilidades conciliatórias e de convencimento. Há pessoas querendo sair e tudo isso estava previsto num cronograma, que vamos esgotando ao longo dos dias. Depois disso, vamos começar o diálogo com aqueles que se recusarem a sair do local", afirma.
À noite, o entorno do prédio estava quase que completamente cercado por tapumes, com avisos sobre a interdição judicial. Sem eletricidade desde o dia 5 de março, as cores despadronizadas dos apartamentos iluminados nos 17 andares do Holiday, que antes eram características do edifício, deram lugar à escuridão que toma por completo o prédio.
Por volta das 19h, a polícia solicitou ao condomínio uma lista dos moradores que seguem no local, para restringir a passagem de transeuntes e entrada de veículos.
Coronel Ivanildo Torres é coordenador do gabinete de crise da Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco — Foto: Pedro Alves/G1

De acordo com o coronel Ivanildo Torres, coordenador do gabinete de crise da Secretaria de Defesa Social (SDS), o trabalho de remoção dos moradores do Holiday tem ocorrido de forma tranquila. Segundo ele, na manhã da sexta-feira (21), a prefeitura deve dar seguimento às mudanças agendadas.

"Foram feitas 25 mudanças e os 69 comércios do entorno e de dentro do Holiday foram fechados. Temos 67 agendamentos de mudanças para a sexta, incluindo daqueles que já saíram, mas que ainda têm móveis no local. Cremos que, nos próximos dias, teremos o edifício totalmente desocupado e a vida das pessoas preservada. Em momento nenhum houve uma resistência maior, as pessoas entenderam o risco ao qual estão submetidas", declara.

A tranquilidade relatada pelo governo, no entanto, não é compartilhada por quem mora no Holiday e, dia após dia, dedicou a vida a tentar impedir sua interdição. O síndico José Rufino Neto, um dos moradores que seguem no prédio, afirma que, apesar de poucas, há pessoas que pretendem não sair do local.

"Não houve hostilidade aqui, mas estão nos tirando como se aqui houvesse apenas bandidos. A situação é essa, um batalhão fardado aqui na frente. Temos 71 apartamentos com móveis e não vemos necessidade de retirar, já que os apartamentos vão ficar lacrados. Tem gente que não vai sair. Eu mesmo, sou um", afirma.
Edifício Holiday, na Zona Sul do Recife, foi interditado — Foto: Pedro Alves/G1

Cronograma da desocupação

A Secretaria de Defesa Social, junto à prefeitura do Recife e à Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), divulgou o cronograma para desocupação do Edifício Holiday, após a determinação da Justiça. Com o fim do prazo na quarta-feira (20), os órgãos oficiais trabalham para que todos saiam do prédio o quanto antes.
Participaram da operação nesta quinta 180 profissionais da SDS e de órgãos como a Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU). Policiais militares entregaram aos moradores panfletos com o cronograma de ações, que devem levar 19 dias.
Neste primeiro dia, segundo o panfleto, todas as pessoas deveriam deixar suas residências e, nos dias seguintes, serão removidos os móveis e pertences, começando pelo último andar, o 17º, e terminando com mobília e materiais do térreo do prédio.

Comentários