Governo anuncia dois milhões de euros de apoios às empresas

Segundo o site https://www.noticiasaominuto.com: O primeiro-ministro, António Costa, anunciou hoje que este ano vão ser canalizados dois mil milhões de euros de apoios para as empresas, uma "meta ainda mais ambiciosa" do que 2017.Governo anuncia dois milhões de euros de apoios às empresas"A meta para 2018 é ainda mais ambiciosa, a meta é colocar nas empresas dois mil milhões de euros de apoio para as empresas poderem investir, mas a confiança que temos é a confiança que resulta da experiência que temos acumulado, de verificar a capacidade de iniciativa que as empresas têm tido, da capacidade que têm tido de executar esses fundos comunitários e de, a cada concurso, se verificar sempre um número de candidaturas que excede as tranches colocadas a concurso", disse António Costa, numa intervenção no almoço-debate da Fundação AEP, no Porto, perante empresários.                António Costa recordou que há dois anos, quando chegou ao Governo, existiam 15 empresas apoiadas e quatro milhões de euros de fundos comunitários mobilizados, tendo traçado como meta colocar nos 100 primeiros dias do executivo 100 milhões de euros de apoio ao investimento, algo que foi conseguido.
O primeiro-ministro salientou ainda que, no ano passado, a meta eram os mil milhões de euros, alcançada em setembro, o que permitiu terminar 2017 com uma execução de 1.250 milhões de euros.
Segundo o primeiro-ministro, isto deve-se à "forte confiança" que os agentes económicos têm vindo a manifestar, ao clima económico positivo e às perspetivas da economia europeia e mundial que são favoráveis ao investimento.
"Tem havido, desde o início do Governo, uma preocupação central que tem a ver com a melhoria de condições de investimento por parte das empresas que se traduziu, desde logo, na capacidade de agilização e mobilização de fundos comunitários", frisou.
Este "sentimento de segurança", acrescentou, mede-se por um dado importante, ou seja, o emprego não tem crescido só em números absolutos, mas em qualidade, visto que, 75% dos 242 mil novos postos de trabalho criados não são contratos a termo.
António Costa advertiu, contudo, que a criação de condições para as empresas poderem investir não é suficiente, sublinhando que é necessário que as políticas públicas possam contribuir para que esses investimentos aconteçam, sendo "essencial" a manutenção do quadro macroeconómico, a capacidade de mobilização e gestão dos fundos comunitários, a criação de infraestruturas e o reforço do investimento na rede portuária.
Mas, o "grande investimento duradouro" que o país tem de fazer está relacionado com os recursos humanos, defendeu o primeiro-ministro, reiterando que a competitividade de Portugal vai assentar "cada vez mais" na inovação e no conhecimento.
O programa Capitalizar destina-se a financiar a tesouraria e o investimento de empresas. As empresas podem financiar-se entre 25 mil e dois milhões de euros e com prazos entre três e dez anos. O crédito às empresas através do programa Capitalizar tem a vantagem de permitir aceder a crédito com condições mais vantajosas do que as que a banca concede.    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

General Heleno: “Vamos fechar o Congresso Nacional. Não existe nenhuma Democracia em nosso País mais.”

Noticia Urgente: Cantor Murilo Manoel de Moura sofre acidente de Moto e chega a óbito

Jovem morre em acidente de transito na PE 90 na cidade de Surubim