terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Sistema educacional Japonês e o sistema educacional Brasileiro

Segundo o site http://www.japaoemfoco.com: Como Funciona o Sistema Educacional Japonêsestudante-japonesa-10
O sistema educacional japonês foi reformado após a Segunda Guerra Mundial. O antigo sistema 6-5-3-3 foi alterado para o sistema 6-3-3-4 (6 anos de ensino fundamental, 3 anos de ensino médio, três anos de colegial e 4 anos de universidade), seguindo o sistema americano.

São 5 etapas do jardim de infância até a Universidade:
Youchien (jardim-de-infância): Pode durar de um a três anos;
Shougaku (Ensino fundamental primário): Duração seis anos;
Chuugaku (Ensino fundamental secundário): Duração de três anos;
Koukou (Ensino médio): Duração de 3 anos;
Daigaku (Universidade): Duração média de quatro anos.

Gimukyoiku (escolaridade obrigatória)

O período de tempo do Gimukyoiku é de 9 anos: 6 anos de shougaku (ensino fundamental primário) e 3 anos de chuugaku (ensino fundamental secundário). O ano letivo começa no início de Abril e termina no início de março, com cinco dias semanais (às vezes sábado também) e 210 dias anuais.
A Taxa de alfabetização e de frequência escolar para os nove anos de escolaridade obrigatória é de 99,98%. A média de horas escolares diárias é de 6 horas, exceto para algumas classes do ensino fundamental. Além das aulas normais, muitas crianças ainda frequentam aulas particulares no contra-turno. Normalmente, no ensino fundamental, um professor ensina todas as disciplinas para cada classe, que tem em média de 30 a 40 alunos. Além das aulas dentro da sala de aula, os alunos tem aulas extra-curriculares e aulas práticas dentro de laboratório. Na maioria das escolas japonesas, o uniforme é obrigatórioescola japonesaNo Shougaku, as matérias regulares são: língua japonesa, estudos sociais, estudos gerais, matemática, ciência, estudos ambientais, música, arte e artesanato, vida cotidiana e conhecimentos domésticos, educação moral e educação física. A Língua inglesa é incluída a partir do Chuugaku.
O sistema de ensino japonês valoriza muito a higiene, a pontualidade, a cooperação e o trabalho em grupo. Os alunos são incentivados a desenvolver diversas tarefas que visam promover a responsabilidade, o respeito pelos mais velhos (relação Kouhai/Senpai) e o bem estar do grupo em que vive.
É feito uma divisão das tarefas e os alunos ganham funções em diversas situações cotidianas, como no Kyushoku Touban (lanche escolar) e no Souji (limpeza das salas de aula). O esportes também é bastante incentivado dentro da escola para promover o bem estar físico e a lealdade do grupo.

Kokou (Ensino Médio)estudantesEmbora não seja obrigatório, o ensino médio (Koukou) tem mais de 96% de matrículas em todo o país, chegando a quase 100% em algumas cidades. A taxa de abandono escolar é de cerca de 2% e cerca de 46% de todos os formandos do ensino médio vão para a universidade ou faculdade júnior.O sonho da maioria dos pais japoneses é que seus filhos cursem o ensino médio em uma boa escola privada para que recebam suporte acadêmico para ingressar em uma universidade. A escolha da escola é feita com base na localização, incidência de bullying e indicação de outras pessoas.
Para entrar no ensino médio (Kokou), os alunos tem que passar numa espécie de vestibular (exame de admissão). Essa questão tem gerado um elevado nível de competitividade e estresse entre os alunos. Para conseguirem passar nos exames e assim entrar em conceituadas instituições, muitos alunos frequentam “cursinhos”, chamados como Juku ou Gakken, ou ainda Yobiko, que são dois anos de cursinho preparatório para entrar na universidade (Daigaku).


Curiosidades


O ano letivo, assim como o ano fiscal começa em abril e termina em março do ano seguinte. Essa época condiz com o início da primavera e com o florescimento tão esperado do sakura (flores de cerejeira), que como sabemos tem um grande significado para o povo japonês.                                                                                     Embora não seja obrigatório, o ensino médio (Koukou) tem mais de 96% de matrículas em todo o país, chegando a quase 100% em algumas cidades. A taxa de abandono escolar é de cerca de 2% e cerca de 46% de todos os formandos do ensino médio vão para a universidade ou faculdade júnior.
O sonho da maioria dos pais japoneses é que seus filhos cursem o ensino médio em uma boa escola privada para que recebam suporte acadêmico para ingressar em uma universidade. A escolha da escola é feita com base na localização, incidência de bullying e indicação de outras pessoas.
Para entrar no ensino médio (Kokou), os alunos tem que passar numa espécie de vestibular (exame de admissão). Essa questão tem gerado um elevado nível de competitividade e estresse entre os alunos. Para conseguirem passar nos exames e assim entrar em conceituadas instituições, muitos alunos frequentam “cursinhos”, chamados como Juku ou Gakken, ou ainda Yobiko, que são dois anos de cursinho preparatório para entrar na universidade (Daigaku).


Curiosidades

O ano letivo, assim como o ano fiscal começa em abril e termina em março do ano seguinte. Essa época condiz com o início da primavera e com o florescimento tão esperado do sakura (flores de cerejeira), que como sabemos tem um grande significado para o povo japonês.    


Vejam o querem ensinar nas Escolas Brasileiras:  minas gerais Drag queen dá “aula” sobre papeis de gênero para comemorar Dia das Crianças em escola | E vejam o que querem fazer nas Escolas Municipais para acostumar as pessoas Brasileiras aceitarem a sua opinião Drag queen faz dança sensual ao som de Pabllo Vittar em escola pública  Natha Sympson, que se proclama “A drag mais quente de Salvador”, foi convidada pela escola para participar de projeto sobre identidade de gênero | Natha Sympson, que se proclama “A drag mais quente de Salvador”, foi convidada pela escola para participar de projeto sobre identidade de gênero.Uma escola de Salvador (BA) convocou uma drag queen para fazer uma dança sensual diante dos alunos.Após iniciar a apresentação usando um vestido, ela se despiu e prosseguiu usando apenas um collant e um espécie de biquini. Natha Sympson, que se proclama “A drag mais quente de Salvador”, esteve na semana passada no Colégio Estadual Odorico Tavares. Segundo a drag queen, o convite veio de Luciana Senna, que é a diretora da escola. Ainda de acordo com Natha, a dança fez parte de um projeto de “identidade de gênero e sexualidade”.Vídeos divulgados pela própria drag queen a mostram dançando no pátio da escola. Alunos observam e vibram com a performance, ao som de Pabllo Vittar e Anitta. “Fico feliz em saber que a arte drag queen ta invadindo tudo, com muito amor e carinho. E que ta tudo bem ser LGBT e afeminada”, disse ela. As cenas provocaram críticas nas redes sociais. Vejam que chamam de Arde Moderna

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prefeita de Surubim Ana Celia Assina Ordem de Serviço de pavimentação de ruas e da entrega de um ônibus escolar acessível.

Segundo o site Assessoria de Imprensa Prefeitura de Surubim PE:  A Prefeitura não para de trabalhar! Você está convidado para a assinatura...