5 dicas para manter a pele hidratada e protegida mesmo nos dias mais frios veja também Picada de Escorpião e também o que é verdade e mito em ressaca

Segundo o site imprensa TREE COMUNICAÇÃO Isabel Lopes: Para ter uma pele saudável durante o ano inteiro e, principalmente, nas baixas temperaturas e climas mais secos, é fundamental investir em hidratação e muita limpeza. A dermatologista do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Maria Bandeira, alerta que o ressecamento da pele pode causar irritações, ardências, fissuras e até infecções.
Para evitar essa situação, a dermatologista listou cinco cuidados essenciais para manter a pele macia e saudável o ano inteiro.

1. Evite banhos muito quentes e uso de buchas ou esponjas: Esse hábito, assim como ficar muito tempo no chuveiro, não é bom, pois a água quente remove a camada protetora da pele. O ideal é tomar banho morno e rápido. “O uso de buchas ou esponjas também não são recomendáveis, isso porque, ela retira a gordura natural da pele, que também funciona como proteção do corpo”, esclarece.

2. Hidrate bem a pele: Maria Bandeira explica que peles mais ressecadas devem ser hidratadas com produtos ricos em gordura e de preferência nas opções em loção, emulsões e cremes mais consistentes. Diferente das oleosas que exigem produtos com maior quantidade de água do que gordura, além de ser recomendada a versão em gel. “Em dias mais frios, o ideal é a aplicação diária após o banho”.


3. 
Pele limpa sem ressecar: Para essa situação, a especialista recomenda um produto que atenda a necessidade da pele. Por exemplo, para as peles mais ressecadas, são aconselhados sabonetes hidratantes. No caso de peles secas e sensíveis, opte por substâncias para limpeza sem sabão. A médica ainda ressalta a importância de investir em sabonetes neutros, que são mais delicados e cumprem sua função sem ressecar.

4. É preciso esfoliar?: Para a dermatologista, o hábito merece atenção e deve ser feito esporadicamente, principalmente se a pele for oleosa. “A esfoliação pode causar irritação em peles, principalmente nas que já estão ressecadas”.

5. Água para hidratar: A ingestão de dois litros de água por dia é o recomendável para uma vida saudável, entretanto, para manter a pele macia é recomendado ainda mais. Maria Bandeira sugere o consumo recorrente da bebida, aliado ao uso de produtos com substâncias como ureia, ceramidas e lactato de amônio para maior proteção da pele.

COMPLEXO HOSPITALAR EDMUNDO VASCONCELOS
Localizado ao lado do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, o Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos atua em mais de 50 especialidades e conta com cerca de 1.400 médicos. Realiza aproximadamente 12 mil procedimentos cirúrgicos, 13 mil internações, 230 mil consultas ambulatoriais, 145 mil atendimentos de Pronto-Socorro e 1,45 milhão de exames por ano. Dentre os selos e certificações obtidos pela instituição, destaca-se a Acreditação Hospitalar Nível 3 - Excelência em Gestão, concedida pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) e o Prêmio Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil, conquistado pelo sexto ano consecutivo em 2016.
Rua Borges Lagoa, 1.450 - Vila Clementino, Zona Sul de São Paulo.
Tel. (11) 5080-4000
Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos oferece programação sobre denças renais
Site: www.hpev.com.br
Facebook: www.facebook.com/ComplexoHospitalarEV
Twitter: www.twitter.com/Hospital_EV
YouTube: www.youtube.com/user/HospitalEV
Informações para a imprensa:
TREE COMUNICAÇÃO
(11) 3093-3604 / 3093-3636
Isabel Lopes – isabel.lopes@tree.inf.br
Rhayssa Nascimento – rhayssa.nascimento@tree.inf.br

Arquivo da tag: hospital edmundo vasconcelos                                                 Picada de escorpião: agilidade no atendimento diminui riscos                                                      Parece inofensivo, mas não é. A picada de um escorpião provoca dor intensa e contínua por horas, podendo seguir-se de náuseas, vômitos, transpiração, choque e, em alguns casos, o óbito. Crianças menores de sete anos e adultos maiores de 70 anos merecem atenção redobrada, uma vez que a letalidade aumenta significativamente nesta faixa etária.

O responsável pela equipe do Pronto-Socorro Adulto e cirurgião geral do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Pedro Ivo Monteiro Pacheco, ressalta a importância de um atendimento imediato, principalmente nesses casos. “A agilidade no atendimento eleva a chance de recuperação breve do paciente e diminui as complicações que a picada pode provocar”, afirma.
Segundo dados da Divisão de Zoonoses do Centro de Vigilância Epidemiológica do Estado de São Paulo, mais de 14 mil ataques foram registrados no ano passado, o que significa cerca de 1.700 casos a mais se comparado a 2014.
O especialista orienta que a pessoa picada lave imediatamente o local atingido com água e sabão. Também é indicada a utilização de analgésicos e compressas mornas, para dar algum conforto ao acidentado durante o transporte até um hospital próximo.
Já nos casos mais graves, deve ser usado o soro antiescorpiônico. O médico aconselha, sempre que possível, a levar o escorpião ao serviço de saúde. “Esta atitude é muito importante, pois assim define-se com segurança a espécie que provocou o acidente e o tratamento a ser instituído”, orienta.
Para reduzir os riscos de um ataque deste tipo de aracnídeo, o especialista alerta para o uso de calçados e luvas durante atividades em locais rurais e de jardinagem. Além de examinar cuidadosamente os calçados e roupas pessoais, de cama e banho, antes de usá-las. Não acumular lixo orgânico, entulhos e materiais de construção, vedar as frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés e fechar ou tampar ralos de banheiro e pias e lavatórios são ações indispensáveis para evitar a entrada deste animal.

Entre os incidentes mais frequentes no Brasil estão os provocados pelo escorpião amarelo (Tityus serrulatus) e o escorpião marrom (Tityus bahiensis), comuns de serem encontrados em entulhos, pedras, cascas de árvores e dentro de domicílios – principalmente em sapatos e roupas. 

escorpiãoFonte: Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos                                                          

Carnaval: veja alguns mitos e verdades sobre embriaguez e ressaca
O carnaval chegou e, nesta época, muitos foliões sempre acabam exagerando no consumo de bebidas alcoólicas – causadoras da indesejável ressaca no dia seguinte. Segundo a clínica geral do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos, Lígia Brito, os fatores que mais contribuem para a embriaguez e a ressaca são a hipoglicemia e a desidratação.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que cerca de 30% dos homens e 10% das mulheres consomem álcool em excesso pelo menos uma vez por semana. Além disso, quase 80% dos jovens admitem consumir bebidas alcoólicas regularmente.
“O álcool potencializa o aumento dos casos de hipoglicemia, que pode causar tontura e mal estar. Isso acontece porque, ao passar pelo fígado, o álcool etílico utiliza a glicose do organismo no processo do metabolismo”, explica a médica. Ou seja, a absorção do álcool pelo intestino é muito mais rápida que a capacidade do fígado em metabolizar a bebida.
No dia seguinte, após a bebedeira, os tradicionais sintomas da ressaca são dor de cabeça, fraqueza, tontura, náusea e boca seca. É comum também que a pessoa nesta situação vá ao banheiro com maior frequência, podendo ter diarreia.
O consumo de suco de fruta com açúcar surge como uma das principais armas contra a embriaguez e a ressaca, auxiliando o organismo a manter a taxa de glicose no corpo, além de ajudar no processo natural de hidratação.
Conheça alguns mitos e verdades sobre a embriaguez e a ressacarefrigerante arkero Tomar refrigerante no dia seguinte ameniza os sintomas?
Mito. O açúcar encontrado neste produto ajuda a aumentar a taxa de glicose no corpo, mas não tem eficácia sobre todos os sintomas.pao de forma 
o Ingerir alimentos com carboidratos é uma boa opção contra a embriaguez e a ressaca?
Verdade. Apostar em fatias de pão, purê de batata, arroz e produtos com açúcar é uma boa opção antes de começar a beber.
  antiacido dhester
Foto: Dhester/MorgueFile
o Antiácidos antes e depois ajudam na ação contra a ressaca?
Mito. Ajudam a diminuir as dores no estômago, mas não o fígado. Portanto, este tipo de medicamento não é totalmente eficaz.
 banho  o Banho frio cura a bebedeira?
Mito. O banho gelado ajuda a despertar, mas pode causar hipotermia e, em alguns casos, piora o estado da pessoa.  agua de coco 
 Água de coco é mais eficiente que os refrigerantes contra a ressaca?
Verdade. Apostar na água de coco é uma boa dica, pois, além de conter glicose, é absorvido mais facilmente pelo corpo e auxilia na hidratação.
               

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

General Heleno: “Vamos fechar o Congresso Nacional. Não existe nenhuma Democracia em nosso País mais.”

Noticia Urgente: Cantor Murilo Manoel de Moura sofre acidente de Moto e chega a óbito

Jovem morre em acidente de transito na PE 90 na cidade de Surubim