sábado, 8 de agosto de 2020

Sete mercadinhos são interditados por vender produtos avaliados em R$ 200 mil sem nota ou com suspeita de roubo

 Segundo o site https://g1.globo.com/pe/pernambucoOperação realizada pelas Secretarias da Fazenda e de Defesa Social (SDS) ocorreu na Zona Oeste do Recife.Policiais participaram de operação que interditou mercadinhos no Recife  — Foto: Secretaria da Fazenda/Divulgação                                                     Sete mercadinhos foram interditados na Zona Oeste do Recife, durante uma operação realizada pelas Secretarias da Fazenda (Sefaz) e de Defesa Social de Pernambuco (SDS). De acordo com o governo, foram constatadas irregularidades, sobretudo, a comercialização de produtos sem nota fiscal e com suspeita de roubo. Apreendidas, essas mercadorias estão avaliadas em R$ 200 mil.                                                                                  A operação foi deflagrada, segundo a secretaria, depois de ações policiais que prenderam suspeitos de integrar quadrilhas de roubos e furtos de mercadorias. Depois, foram comprovadas as ligações dessa pessoas com esses mercadinhos, que acabaram sendo interditados.                                                                                                              Segundo a Sefaz, um levantamento inicial apontou a prática de concorrência desleal dos estabelecimentos. A secretaria informou que, durante a pandemia, quando as fiscalizações presenciais foram suspensas, ficaram mantidas ações de monitoramento das operações comerciais.                                                                                        Além da interdição, dois estabelecimentos tiveram os dados de seus computadores duplicados pelo Laboratório de Auditoria Digital (Laud/DOE), que fará a análise e interpretação das informações.                                                Ainda de acordo com a secretaria, esta foi a primeira de uma série de operações. Ela ocorreu na quarta-feira (5), mas foi divulgada nesta sexta (7). A Sefaz disse que outras ações estão programadas.                                                Por meio de nota, a secretaria destacou que o valor de R$ 200 mil corresponde a apenas a uma parte dos estoques dos mercadinhos. Esses produtos recolhidos estavam sem nota e não tiveram origem lícita comprovada.                                                                                                                                                                        A Sefaz informou, ainda, que os donos dos mercadinhos deverão regularizar a situação das mercadorias recolhidas. Para isso, será preciso pagar R$ 120 mil.                                                                                                      A operação foi realizada pela Força Tarefa Roubo de Cargas da Secretaria de Desenvolvimento Social (SDS), a Diretoria de Operações Estratégicas da Sefaz. Ela contou com a participação das polícias, que estão dando apoio a investigações sobre as irregularidades das mercadorias                                                                                                 Caso seja constatar a receptação qualificada, os estabelecimentos poderão ficar fechados por um ano, de acordo com a Sefaz. Em caso de reincidência, a interdição será de cinco anos.                                                                        “Essas ações serão contínuas, visando à manutenção da segurança pública e da livre concorrência, combatendo os assaltos e a prática do comércio ilegal de produtos roubados ou furtados, evitando perdas de vidas, bens e concorrência desleal”,destacou a secretaria, por meio de nota.

Nenhum comentário:

Postar um comentário